29 de setembro de 2010

Luso Jornal n° 4 de 29 de Setembro de 2010





Nesta edição do LusoJornal pode ler:

Destaque:
• Fórum Cultural junta dezenas de artistas portugueses em Sartrouville
• Evento comemora o Centenário da República Portuguesa


Dossier:
• Centenário da República Portuguesa
• A Primeira República conturbada
• Lista dos Presidentes da Primeira República
• Exposição “Um olhar sobre a Primeira República” em Montpellier
• Centenário da República comemorado no Conselho da Europa, em Estrasburgo
• “Primeira República: movimento cultural regenerador” por Tito Livio Mota


Política:
• Saída conturbada de Manuel Maria Carrilho da Unesco
• Portugueses manifestaram em Paris contra a “reforma das reformas”
• Deputado Rui Conzane representa os Moçambicanos residentes na Europa
• Presidenciais: divulgado o programa da visita do candidato Francisco Lopes a França
• Delegação da ANAFRE visita a França


Comunidade:
• Dia da defesa Nacional também é para lusodescendentes
• António Braga anunciado na apresentação do Observatório dos Lusodescendentes em Lisboa
• Hermano Sanches Ruivo e Emmanuel Demarcy-Mota convidados pelo Presidente da CM de Lisboa para as comemorações do Centenário da República
• Festa da independência da Guiné Bissau teve lugar em Saint Denis
• Permanência do Consulado de Portugal em Troyes
• Novos horários de abertura do Consulado geral de Portugal em Lyon
• Vários artistas portugueses na festa de solidariedade para com o pequeno Valentim


Cultura:
• Último livro de José Luis Peixoto fala de emigração
• Susana Lopes: “O fado canta-se com alma”
• “Cadavre trop exquis”: pintores portugueses de França expõem em Lisboa
• Ministro francês da Cultura no concerto de Remix Ensemble da Cada da Música do Porto, no Festival de Estrasburgo
• Elmano Sancho em cena na Comédie française
• Michel Chandeigne convidado em Estrasburgo
• Exposição sobre Soeiro Pereira Gomes em Montpellier
• Para breve homenagem a Zeca Afonso em Aubervilliers
• 200 anos depois: Franceses e Luso-britânicos voltaram a combater no Buçaco


Ensino:
• Filipe de Almeida quer dinamizar o ensino associativo em Clamart
Começaram as aulas de Português no Vice-Consulado de Portugal em Nantes
• Estudantes lusodescendentes receberam bolsas de estudo na Embaixada de Portugal em Paris
• Deputado comunista questiona Governo sobre ensino de português no estrangeiro
• Colóquio sobre a Máscara Ibérica na Universidade de Saint Etienne


Media:
• Maria Rodrigues: 25 anos a fazer rádio em Pau
• Assembleia Geral relança luta pela sobrevivência da Radio Trait d’Union em Lyon
• Lypn: sucesso para a segunda festa de Radio Capsao
• Reims: fim dos programas em português na Rádio Primitive
• Fortes críticas à programação da RTPi e da SICi
• Algarve foi tema para um programa da France 5


Associações:
• Grupo folclórico da Boavista (Portalegre) atuou em Créteil
• Festival de Colombes dedicado à Desfolhada


Desporto:
• Ciclismo: Pedro Soeiro do Loulé, ganhou a Corrida Bruno Guerreiro em Epinay-sur-Seine
• Futsal: Sporting Club de Paris volta a ‘dar show’ na primeira divisão francesa da modalidade
• Futsal: Merveilles du Portugal goleou no primeiro jogo da Liga CCIFP-Fidelidade
• Nacional: Vitória do Créteil Lusitanos face a Luzenac
• Regional: Lusitanos de Saint Maur perdeu face ao Ivry


Opinião:
• “Os emigrantes podem ser doutores?” crónica de opinião de Daniel Ribeiro
• “O Consulado Informa...”, uma rubrica do Consulado Geral de Portugal em Paris

“Morrer Como um Homem” é o candidato português à nomeação para o Óscar



“Morrer Como um Homem”, terceira longa-metragem do realizador, teve antestreia mundial no Festival de Cinema de Cannes do ano passado, e chegou às salas comerciais nacionais em Outubro. A partir do percurso do travesti Ruth Bryden, o filme retrata a vida da personagem Tonia, um travesti veterano dos espectáculos de “drag queen” de Lisboa, que vê as suas convicções pessoais serem questionadas num relacionamento amoroso.

A escolha do filme de João Pedro Rodrigues, de entre as 12 produções que foram estreadas em Portugal entre 1 de Outubro de 2009 e o dia 30 do mês corrente, foi feita por um júri presidido por José Pedro Ribeiro, director do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) – instituição que divulgou a decisão no seu “site” –, e completado por Ana Costa, em representação da Associação de Produtores de Cinema, Margarida Gil, pela Associação Portuguesa de Realizadores, José Carlos de Oliveira, pela Associação de Realizadores de Cinema e Audiovisual, Patrícia Vasconcelos, directora de “casting”, e Luís Miguel Oliveira, pela Cinemateca Portuguesa/Museu do Cinema.

A escolha, que teria de ser feita até ao dia 1 de Outubro, foi já comunicada à Academy of Motion Picture Arts and Sciences, em Hollywood. A academia revelará os nomeados de todas as categorias no dia 25 de Janeiro de 2009, e os vencedores serão conhecidos a 27 de Fevereiro, na cerimónia da 83ª edição dos Óscares, em Los Angeles.

“Morrer Como um Homem” foi já distinguido, este ano, como o melhor filme do Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires, na Argentina, e do Festival Gay e Lésbico Mezipatra, da República Checa. O seu realizador vai ser homenageado com uma retrospectiva nos Estados Unidos, na Brooklyn Academy of Music, entre 6 e 8 de Outubro. João Pedro Rodrigues será o convidado do programa “The Next Director”, e apresentará os seus filmes em encontros com o público.

“Ilusão (ou o que quiserem)” de Luísa Costa Gomes vence Prémio Fernando Namora


O romance “Ilusão (ou o que quiserem)”, de Luísa Costa Gomes, é o vencedor do Prémio Literário Fernando Namora/Estoril Sol, pela inovação e ágil registo estilístico, como assinalou em acta o júri. A obra editada em Novembro do ano passado marcou o regresso da escritora ao romance, dez anos depois de “Educação para a tristeza”. “Ao galardão, com o valor pecuniário de 25 mil euros, concorreram meia centena de obras, todas editadas em 2009, tendo a escolha de “Ilusão (ou o que quiserem)” sido unânime, disse à Lusa a mesma fonte.

O júri considerou a obra “manifestamente inovadora, quer pela sua excelente construção, quer pelo seu ágil registo estilístico de constante ironia, quer pela análise penetrante de alguns comportamentos tipo da actual sociedade portuguesa, muito em especial no tocante a métodos pedagógicos aplicados nas escolas e à animação cultural na província, bem como à densidade da narrativa”.

Quando do seu lançamento em Novembro passado, a escritora afirmou à Lusa: “Este meu novo romance é a ilusão do realismo, em que a expressão ‘ou o que quiserem’ é uma alusão a uma peça de William Shakespeare”. A escritora de 56 anos referia-se à peça “As you like it” (“Como quiserem”), que é “uma reflexão sobre o género comédia que é difícil de homogeneizar”, explicou. A autora acrescentou que “há no romance várias referências” ao dramaturgo inglês.

Constituíram o júri o escritor Vasco Graça Moura, Guilherme d’Oliveira Martins em representação do Centro Nacional de Cultura, José Manuel Mendes pela Associação Portuguesa de Escritores, Maria Carlos Loureiro pela direção geral do Livro e das Bibliotecas, Manuel Frias Martins pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual, e Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

Luísa Costa Gomes nasceu em Lisboa, licenciou-se em Filosofia e foi professora do ensino secundário, actividade que abandonou para se dedicar à escrita e à realização de Oficinas da Escrita em diversas escolas.

Chipre: Mais de 1500 pessoas visitaram exposição sobre Descobrimentos Portugueses em Limassol


Lisboa, 28 Set (Lusa) – Mais de 1.500 pessoas visitaram já a exposição sobre Descobrimentos Portugueses em Limassol, sul do Chipre, uma mostra que até 27 de outubro enaltece a contribuição técnica de Portugal para a navegação nos séculos XV e XVI.

Iniciativa da Fundação Latinis e da Embaixada de Portugal em Nicosia, "Portugal, a window to the world" foi inaugurada a 17 de setembro e no primeiro fim de semana foi visitada por mais de 1.500 pessoas, disse à agência Lusa o embaixador de Portugal em Nicosia, Jacob de Carvalho.

A mostra exibe peças dos museus portugueses de arte antiga, marinha e militar e é a primeira de uma série dedicada à contribuição de diversos países europeus "para o estreitamento das relações entre povos e civilizações na sequência da expansão marítima portuguesa", refere a embaixada em nota.

Colaboram ainda na exposição o Ministério da Cultura de Chipre e o Instituto Camões.

“É uma exposição que procura realçar sobretudo a contribuição técnica de Portugal para este processo de globalização em que estamos envolvidos, a contribuição que Portugal deu nos séculos XV e XVI para a aproximação dos povos entre os cinco continentes”, disse à Lusa Jacob Carvalho.

As miniaturas de caravelas e outras embarcações da época disponibilizadas pelo Museu da Marinha para a mostra são as peças que estão a suscitar maior atenção, nomeadamente por parte dos jovens, estando previstas visitas de alunos de escolas cipriotas.

De acordo com o embaixador Jacob Carvalho, a exposição está a ter um importante "feedback", tendo merecido grande atenção por parte dos órgãos de comunicação social cipriotas.

"Pelos contactos com várias pessoas posso perceber que a exposição é do agrado geral e vai ao encontro das expetativas que [os cipriotas] tinham relativamente aos Descobrimentos Portugueses e àquilo que Portugal fez no século XVI", considerou.

Jacob Carvalho sublinhou que, apesar de em determinados níveis da sociedade do Chipre existir já "um conhecimento relativamente amplo" da actividade dos portugueses, o contributo técnico e científico dos portugueses para a cartografia e navegação deixou os cipriotas "admirados".

Em Chipre residem cerca de 100 portugueses, 40 dos quais são jogadores de futebol.

"Portugal, a window to the world" decorre no âmbito do Festival do Mar de Limassol, cidade turística do sul de Chipre

Comunidades: Observatório dos Luso-descendentes quer incluir perguntas no Census 2011

Lisboa, 29 set (Lusa) - A presidente do Observatório dos Luso-descendentes, Emmanuelle Afonso, quer que o Census 2011 inclua perguntas específicas para se determinar quantos filhos de portugueses no estrangeiro estão a residir em Portugal.

“Não existem dados de quantos luso-descendentes estão a voltar. Para ter esses dados, existe uma boleia fantástica que é o Census 2011 e queremos muito convencer os responsáveis a deixarem-nos incluir duas ou três perguntas estratégicas para conseguir essa informação, quantitativa e qualitativa ao mesmo tempo”, disse a responsável.

Emmanuelle Afonso falava à Agência Lusa à margem da apresentação pública do Observatório dos Luso-descendentes, que hoje decorreu em Lisboa.

Criado simbolicamente a 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o Observatório foi pensado por cerca de 50 luso-descendentes de segunda geração, maioritariamente de França.

“A associação tem como fim identificar, unir, representar e apoiar os filhos de portugueses nascidos no estrangeiro que optem por regressar a Portugal ou que a residir na diáspora queiram manter uma ligação com o país das suas origens”, referiu a presidente.

Classificando-o como um “movimento de cidadania positiva”, Emmanuelle Afonso disse ainda que outro dos objetivos do Observatório é o de criar um Centro de Estudos sobre luso-descendentes para gerar conhecimento sobre os filhos de portugueses no estrangeiro.

Resolver problemas com a aprendizagem da língua portuguesa e com questões relacionadas com a Lei da Nacionalidade, com equivalências académicas e com a compra de casa são outras das prioridades do Observatório.

Hoje vai ser também lançado o blog do Observatório dos Luso-descendentes, que já tem também página no Facebook e no Twitter.

Presentes na apresentação do Observatório estiveram o embaixador de França em Portugal, Pascal Teixeira da Silva, o futuro embaixador do Luxemburgo em Portugal, Angus September, e a segunda secretária da Embaixada da Alemanha em Portugal, Antje Homberg, todos luso-descendentes.

A secretária de Estado para a Igualdade, Elza Pais, o deputado e antigo secretário de Estado das Comunidades, José Lello, e o deputado do PSD Duarte Pacheco estiveram também presentes.

Comunidades: Criação de Observatório dos Luso-descendentes é “iniciativa oportuna” – embaixador de França

Lisboa, 28 set (Lusa) – A criação do Observatório dos Luso-descendentes, que será apresentado oficialmente quarta feira em Lisboa, constitui uma “iniciativa oportuna”, disse hoje à Lusa o embaixador de França na capital portuguesa.

Pascal Teixeira da Silva, ele próprio um luso-descendente, salientou que o Observatório vai permitir “conhecer melhor quem são os luso-descendentes, quais os seus perfis sociais, económicos, culturais e qual a visão do seu papel e do seu futuro em relação aos países de acolhimento e de origem”.

”Portugal, como muitos países europeus, tem sido um país de emigração. A França é o país, além das antigas colónias, que mais tem beneficiado da imigração portuguesa, a tal ponto que os portugueses e luso-descendentes - incluindo os oriundos de casamentos mistos - são entre 1,5 milhões e 2 milhões, segundo o critério adotado”, destacou.

No caso da França, Pascal Teixeira da Silva acrescentou que os luso-descendentes “têm contribuído tanto para a vida económica e política como para a vida cultural e desportiva”, adiantando que a imagem que projetam deles próprios e de Portugal “é muito positiva”.

Relativamente ao trabalho futuro do Observatório, o embaixador francês é de opinião que pode ser “muito útil”.

“Cabe aos luso-descendentes dizerem do que necessitam e ao Observatório dizer o que pretende fazer. Mas acho que o Observatório pode ser muito útil, porque o regresso de luso-descendentes já alcançou um nível considerável que é difícil avaliar”, disse.

Pascal Teixeira da Silva defendeu, por outro lado, que os luso-descendentes se organizem e estabeleçam contactos na sociedade civil.

“Para a Embaixada de França, o Observatório será um interlocutor precioso porque, tenho a certeza, que sendo os luso-descendentes embaixadores espalhados por todo o país, eles constituem uma riqueza e uma força para ambos”, concluiu.

A cerimónia de apresentação do Observatório contará com a presença, além do diplomata luso-descendente, do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, António Braga.

28 de setembro de 2010

Acordo Ortográfico: Brasileiros vão abrir mão de muitos mais princípios do que os portugueses- linguista

Bragança, 27 set (Lusa) – O linguista brasileiro Evanildo Bechara defendeu hoje que o novo Acordo Ortográfico obriga a maiores mudanças entre brasileiros do que portugueses, contrariando a ideia de que a nova ortografia é uma adaptação ao português do Brasil.

“Pelo contrário, nós no Brasil somos obrigados a mudar muito mais os nossos hábitos do que os portugueses”, afirmou à margem da cerimónia de abertura do Colóquio Anual da Lusofonia que decorre até sábado, em Bragança.

No Brasil, “o acordo vai a pleno vapor”, garantiu o linguista, membro da Academia Brasileira de Letras, defensor da ortografia comum, mas contrário à ideia portuguesa das cedências à norma brasileira.

“O acordo faz com que os brasileiro abram mão de muitos mais princípios do que os portugueses”, afirmou, exemplificando com vários casos de acentuação, em que se destaca o trema.

Os brasileiros perderam o acento de dois pontos sobre o “u” que definia em palavras como “consequência” ou “linguiça” que a letra, normalmente, muda deve ser pronunciada.

Da mesma forma, deixam de usar o acento circunflexo sobre “voo”, “enjoo”, ou “perdoo”.

Mas para o linguista brasileiro, a maior dificuldade naquele país - também comum a Portugal - é o desaparecimento do hífen das palavras compostas, mas sem “uma regra fácil”.

“Os ortógrafos não tiveram bom senso de simplificar”, considerou, ao ditaram regras diferentes para a nova escrita de palavras como mini-saia, que agora passa a minissaia, auto-rádio a autorrádio, enquanto sub-base fica sub base.

Já para os portugueses, o linguista brasileiro encontra “uma vantagem” nas novas regras que ditam que se deixe de escrever as consoantes mudas, como já acontecia no Brasil.

“A uma criança de dez anos, a aprender a escrever, fica-lhe muito difícil entender porque é que tem de escrever Egipto com “p” quando na realidade ela não pronuncia esse “p”, já em egípcio, onde pronuncia o “p”, então ele justifica-se na escrita”, exemplificou.

Neste caso, Evanildo Bechara entende que o acordo acaba por “não obrigar o homem comum a usar uma consoante que ele não pronuncia”.

“Otimista” em relação à aplicação do acordo está também o linguista português Malaca Casteleira, embora lamente o “atraso de Portugal”, que considera justificar também o atraso em outros países lusófonos, nomeadamente africanos.

Realçou, no entanto as iniciativas em curso “favoráveis à introdução” do acordo, nomeadamente a adoção da nova escrita por parte de vários órgãos de Comunicação Social, nomeadamente a agência Lusa, o Expresso, a Visão e o Record.

Em Portugal e Brasil o novo Acordo Ortográfico deverá alargar-se aos manuais escolares já no próximo ano letivo.

Os dois linguistas vão estar disponíveis para responder a perguntas sobre a nova escrita no nono Colóquio Anual da Lusofonia em que são esperados meia centena de oradores de diferentes países.

A Ciberescola da Língua Portuguesa inicia hoje as suas «aulas»

A Ciberescola da Língua Portuguesa inicia hoje as suas «aulas», permitindo tirar dúvidas sobre o conhecimento da língua portuguesa

Trata-se de uma plataforma interactiva destinada a professores e a alunos que permite, através de registo, testar os conhecimentos em língua portuguesa.

Esta escola online disponibiliza exercícios para testar os conhecimentos de gramática, escrita e vocabulário, estando prevista a disponibilização de 1.400 exercício até ao final deste ano. Por agora estão acessíveis 250 exercícios.

Em declarações à agência Lusa, Ana Martins, coordenadora executiva do portal Ciberdúvidas, que é uma das entidades envolvidas no projecto, referiu que «professores e alunos podem aceder gratuitamente, através de um simples registo e não é preciso instalar nenhum software. Todos os exercícios interactivos foram feitos originalmente para esta plataforma».

No final dos exercícios se o aluno obtiver 75 por cento de respostas certas é lhe indicado que siga para o exercício seguinte. Nos casos em que a resposta estiver errada é apresentada a resposta correcta.

No sítio electrónico escola.ciberduvidas.pt estão para já disponíveis cerca de 250 exercícios, para os estudantes treinarem vários domínios da língua portuguesa, mas também para os docentes trabalharem em contexto de sala de aula, utilizando, por exemplo, os quadros interactivos. O acesso a esta plataforma será feito mediante um registo gratuito, sendo que é já possível, experimentar alguns dos exercícios disponíveis para os vários níveis (incluindo Língua Portuguesa não materna).

25 de setembro de 2010

Agenda : hoje no canal France 5 às 20h35


Echappées belles, sobre o Algarve

Ciência: António Damásio lança novo livro sobre a relação entre os sentimentos e a construção da consciência


Lisboa, 24 set (Lusa) – O neurocientista António Damásio lança hoje o seu mais recente trabalho, “O Livro da Consciência”, no qual aborda a relação entre as emoções e a consciência, de acordo com a sua editora, a Temas e Debates/Círculo de Leitores.

A primeira edição mundial do livro vai estar disponível a partir de hoje e propõe um debate “sobre o tema dos sentimentos e da construção da consciência, demonstrando a existência de uma ponte entre a biologia e a cultura”.

Recordando que há mais de 30 anos que o autor de “O erro de Descartes”, “O sentimento de si” e “Ao encontro de Espinosa” estuda a mente e o cérebro humano, a editora afirma que este livro foi formulado “como um recomeço”.

“A reflexão sobre descobertas importantes da investigação, recentes e antigas, alterou profundamente o seu ponto de vista em duas questões particulares: a origem e a natureza dos sentimentos, e os mecanismos por detrás do eu”, refere a editora.

A Temas de Debates refere ainda que este livro constitui um debate sobre as noções atuais nestes domínios e uma proposta de mecanismos para a construção dos sentimentos e da consciência.

O título original do livro é “Self comes to mind”, que não pode ser traduzido à letra. O autor optou pelo título português “O livro da consciência”, pretendendo deste modo homenagear também Fernando Pessoa, que considera “um dos grandes trabalhadores literários da consciência”.

António Damásio venceu o Honda Prize de 2010, um dos mais importantes prémios atribuídos ao nível da ciência e que será entregue a 17 de novembro em Tóquio.

Segundo o júri, o neurocientista português distinguiu-se pelo seu “esforço pioneiro e notáveis contribuições para o mundo da neurociência.”

23 de setembro de 2010

Luso Jornal nº 3 de 22 de Setembro de 2010

Nesta edição do LusoJornal pode ler:

Destaque:

· Portugal e a Bretagne em destaque no Zoom Festival de Beauvais

· Algumas das melhores bandas do país participam no festival: Oquestrada, A Naifa, The Legendary Tiger Man, Terrakota, Orelha Negra, Dead Combo,...

Política:

· Presidente do Conselho das Comunidades diz que o Secretário de Estado António Braga devia assumir o adiamento do Plenário do CCP

· Portugal convidado para as Jornadas Europeias do Património organizadas pelo Mouvement Européen

· Expulsão dos Ciganos em França continua a provocar reações no meio político português

· Francisco Lopes, o candidato do PCP às Presidenciais, anunciou que vem a França

· Aurélio Pinto constitui equipa da campanha de Manuel Alegre em França

· O PCP teve um stand na Fête de l’Humanité em La Courneuve

· Manuel Maria Carrilho deixa de ser Embaixador de Portugal na Unesco, em Paris

Comunidade:

· Cônsul Geral de Portugal em Paris, Luis Ferraz, recebeu a Medalha da cidade de La Chapelle Saint Mesmin

· Conselheiro de Paris, Hermano Sanches Ruivo diz que há situações de carência entre os emigrantes reformados

· Abertas as inscrições para o Colóquio internacional sobre mulheres portuguesas na diáspora

· Permanência consular em Troyes na semana passada

· Permanência consular em Reims nesta sexta-feira

· O Consulado de Portugal informa... Como obter um Cartão do cidadão?

· Foi assinado um protocolo “quadrandular” de cooperação entre Sátão, Vila Nova de Paiva, Orsay e Les Ulis

· Grande recriação evoca Batalha do Bussaco contra as invasões francesas

· Voto do Conselho de Paris pede um sitio em Paris com o nome de José Saramago

Empresas:

· Empresas portuguesas à conquista do mercado francês

· “Boca do Lobo” recebe prémio em Paris

· Promoções da Aigle Azur para Portugal

· Carro elétrico da Peugeot estreou-se em Portugal

· Banque BCP lança novo contrato de seguro vida: Yoga

· Visita à obra pública do arquiteto português António da Silva Ascenção em Aix-en-Provence

Cultura:

· Mónica Cunha tem duas paixões: ser professora e cantar fado

· Odete Fernandes estreia no Restaurante Sinfonia: O fado é o meu destino

· Estudo sobre “A arte portuguesa em França no feminino” por Angélique Sauvaire

· Célia Catarino publica livro em francês para contar as infelicidades da vida

· Livro “Le Fil des Missangas” de Mia Couto vai ser apresentado em Paris

· Enxoval: exposição de fotos e instalação da estilista Manuela Ribeiro

· Nuit Blanche de Paris com participações lusófonas

· Novo álbum de DJ Hym-R “9ème Compil La Costa do Sol”

· O Ensemble de Basse Normandie acompanhou Kátia Guerreiro em concerto no Estoril

· Concerto do português The Legendary Tiger Man em Bourg-en-Bresse

· Concerto de Guitarra e jazz na Embaixada de Portugal

· Coro da Gulbenkian canta Mozart em Paris

· Embaixador de Portugal participa na apresentação da “Saison portugaise” em Arras

· Soprano portuguesa Eduarda Melo recebeu prémio em Toulouse

· Filmes franceses no Festival de cinema gay de Lisboa

· Filme “Singularités d’une jeune fille blonde” de Manoel de Oliveira sai em DVD em França

· Manoel de Oliveira destaca originalidade de Claude Chabrol

· Exposição de pinturas da lusodescendente Brigitte Morillon na Universidade de Saint Etienne

· Exposição em Lisboa de obras de Benjamim Marques, Isabel Meyrelles e Cruzeiro Seixas

· Encontros da Imagem de Braga mostram artistas franceses

· Semana cultural portuguesa organizada pelo Comité de Empresa da Snecma em Evry

· Recolhas: Chegou o momento de não perder mais tempo

Ensino:

· Sindicatos acusam: professores de português sem assistência médica

· Nova sessão de certificação do Celpe-Bras na Universidade de Paris Ouest Nanterre La Défense

· MJC de Viry Chatillon procura professor de português

· Início dos cursos de português na Côte d’Azur

Media:

· Radio Trait d’Union de Lyon obrigada da deixar estúdios por causa de graves problemas financeiros

· Radio RGB de Cergy Pontoise lança apelo para novos animadores lusófonos

· Alô Portugal de José Figueiras regressa à SIC internacional

· Chef Michel Costa convidado do programa “Comment ça va bien?” do canal France 2

Associações:

· Regressou o Campeonato de sueca inter associações da região de Lyon

· Associação de Pontault-Combault homenageada pela autarquia por ter recebido o Prémio Talento deste ano

Desporto:

· Ciclismo: Corrida Bruno Guerreiro nas ruas de Epinay-sur-Seine

· Futebol: Portugueses de Goussainville foram eliminados da Taça de França

· Futebol: Sporting Clube de Portugal ganhou pela primeira vez em França

· Futsal: Sporting Club de Paris entrou a ganhar no Campeonato francês da primeira divisão

Opinião:

· Intervenção do Deputado Carlos Gonçalves no Parlamento sobre a alteração ao regime jurídico da eleição do Presidente da República

· “A política de remendos para as Comunidades portuguesas” por Carlos Pereira

· “Procuro os meus irmãos em França” por Paula Primor

22 de setembro de 2010

Agenda : Bevinda em Guérande - 22 de Outubro de 2010


Bevinda cantará no Centro Cultural Athanor em Guérande, no próximo dia 22 de Outubro, pelas 20h30. A organização deste evento é uma iniciativa do Comité de geminação Guérande-Castro Marim.
* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *
En collaboration avec le Comité de jumelage Guérande/Castro-Marim
Spectacle hors abonnement – Billetterie Office de tourisme de Guérande ( 02 40 24 96 71)

Bévinda, la chanteuse franco-portugaise nous offre un tour d'horizon des plus beaux titres de sa carrière. Depuis "Fatum" son premier album, elle puise sa source d'inspiration dans la musique protugaise en particulier le fado dont elle traduit magnifiquement la "saudade" de sa voix chaude et poignante. Elle n'a eu de cesse jusqu'à son album "Luz" de faire évoluer cette musique traditionnelle vers une écriture musicale poétique contemporaine empreinte de jazz et d'influences sonores variées.

Nourrie par ses nombreux voyages, Bévinda ouvre plus que jamais son spectre sonore et musical emportant la musique lusophone aux confins du monde et particulièrement de l'Asie.

Avec : Bévinda (chant) / Philippe De Sousa (guitare portugaise) / Lucien Zerrad (guitare classique) / Gilles Clément (guitare acoustique et chœurs).

Agenda : 33ª edição da Eleição de Miss Portugal em França - Cerizay - 16 de Outubro de 2010


A 33ª edição da eleição de Miss Portugal em França, organizada pela APDATP - Associação para Desenvolver as Tradições Portuguesas, realiza-se no próximo dia 16 de Outubro em Cerizay, na sala Léon Lagrange, tendo início pelas 21h.

21 de setembro de 2010

Literatura: O "Livro", a nova obra de José Luís Peixoto, uma reflexão sobre a emigração


Porto, 21 set (Lusa) – José Luís Peixoto volta aos livros, três anos depois de “Cal”, com “Livro”, uma reflexão sobre a emigração, “uma questão chave na compreensão do que é a história de Portugal e a evolução do país, nos últimos 50 anos”.

“Pela primeira vez dentro dos romances que já escrevi, comecei pelo título. Fez parte da ideia inicial e esteve presente durante todo o tempo de escrita”, contou hoje à Lusa José Luís Peixoto.

O autor não tem dúvidas sobre a particularidade da sua escolha: “Acabam por existir várias ideias na construção do romance que se dirigem para esse título, que sendo um título tão simples, acaba por ser inclusivamente original”.

Uma delas prende-se com um livro que é nomeado logo na primeira frase do romance – “A mãe pousou o livro nas mãos do filho” – um livro que vai percorrendo toda a história, “que decorre desde os anos 50 até aos nossos dias e que passa, naturalmente, por momentos marcantes da história recente de Portugal”, com especial incidência na emigração.

“Parecia-me que a emigração portuguesa para França, especificamente, mas a emigração portuguesa em geral, não tinha ainda sido tratada pela literatura portuguesa da forma como eu imaginava que merecia, tendo em conta a riqueza do tema”, justificou o prémio Saramago de 2001.

O tema não é estranho a José Luís Peixoto: “Existe uma relação pessoal com esse tema, baseada no facto dos meus pais terem emigrado para França e de eu ter crescido com essa mitologia de ouvir falar do que era a emigração e do que tinha sido a experiência deles, sem que eu nunca a tivesse vivido”.

“À medida que fui aprofundando o tema, pareceu-me que era uma questão chave na compreensão do que é a história de Portugal e a evolução do país, nos últimos 50 anos”, destacou.

Para o autor de “Cemitério dos Pianos”, a emigração congrega em si dois aspetos antagónicos: o sonho e a realidade.

“Em toda ela existe a ilusão, o sonho, um acreditar tão forte que faz deixar tudo, às vezes com grande sacrifício, e ir perseguir essa quimera”, afirmou José Luís Peixoto, enumerando as dificuldades que se colocam no concreto – o pouco apoio, a ausência de direitos e o respeito – para explicar o confronto com a realidade.

É desse confronto, sustenta, que nasce a escrita: “A escrita existe numa outra dimensão da realidade. É uma transmutação daquilo que na realidade são elementos concretos, que existem sobre uma série de regras e de lógicas que pertencem à própria realidade e que no texto existem sob a forma de palavras”.

“Tem de existir um trabalho em que se transforma uma matéria noutra matéria – é quase alquímico. Esse trabalho envolve, necessariamente, toda a abstração e efabulação que existe no sonho, mas também não tem outro referente que não seja a realidade”, salientou o escritor.

“Livro” chega às livrarias a 24 de setembro.

Bancos portugueses têm níveis de reputação acima da média mundial - Estudo

Lisboa, 20 set (Lusa) - Os quatro maiores bancos portugueses (CGD, BCP, BES e BPI) apresentam níveis de reputação superiores à média dos maiores bancos mundiais, de acordo com o Pulse 2010, um estudo conduzido pelo Reputation Institute junto de 72 instituições financeiras.

A CGD, o BCP, o BES e o BPI apresentam, no conjunto, um Índice de Reputação Pulse (IP) médio de 61,63, ao passo que os 72 maiores bancos mundiais examinados registam um IP médio de 61,07.

"Os resultados do Pulse 2010 para o sector bancário demonstram que a banca portuguesa é de facto consistente e reconhecida como tal pela opinião pública. Estes são dados muito positivos para as entidades avaliadas, como tal, deverão ser utilizados na gestão da sua imagem junto dos seus accionistas, investidores e clientes", disse em comunicado Pedro Cabrita Carneiro, responsável do Reputation Institute (RI) em Portugal.

De acordo com o estudo, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) é a entidade bancária portuguesa mais reputada, registando uma avaliação de 72,09, ou seja, um índice de reputação “forte” na escala do RI. O Banco Comercial Português (BCP) ocupa a segunda posição com um valor de 59,42, isto é, um IP “vulnerável”, o BPI com 57,87, IP “vulnerável” e o Banco Espírito Santo (BES) com 57,15, IP “vulnerável”.

No caso dos quatro maiores bancos portugueses estudados no Pulse 2010, Performance Financeira é a dimensão mais forte.

Segundo Pedro Cabrita Carneiro “este facto vai ao encontro das conclusões do RI. Temos verificado que existe uma forte correlação positiva entre uma boa performance financeira das organizações e os comportamentos de recomendação dos públicos alvo e, por conseguinte, os níveis de reputação".

Quanto às dimensões que apresentam um índice de reputação mais fraco, no caso concreto da CGD é Inovação, no BCP Governo de Sociedade e no BPI e BES Responsabilidade Social.

No total, foram avaliadas sete dimensões: Performance Financeira, Produtos e Serviços, Inovação, Ambiente de Trabalho, Governo de Sociedade, Responsabilidade Social e Visão e Liderança.

A nível mundial, o Sberbank, Rússia, foi o banco que registou um IP mais elevado, com 76,10 pontos, seguindo-se o Raiffeisen Group, Suíça, com 75,49, o VTB Bank, Rússia, com 74,63 e o State Bank of India, Índia, com 74,00.

Na Europa, o italiano Monte Dei Paschi Siena, alcançou uma pontuação de 69,25, o sueco Handelsbanken, 66,32, o espanhol La Caixa 65,64 e o UBI Banca, Itália, 65,11.

Lido no Público : Leonor Xavier vence Prémio Máxima de Literatura 2010


O Prémio Máxima de Literatura foi hoje atribuído a Leonor Xavier pelo livro de memórias “Casas Contadas” (editado pela Asa em 2009), que passa pelas 13 casas onde a jornalista viveu. O júri, constituído por António Carvalho, Maria Helena Mira Mateus, Valter Hugo Mãe e a directora da revista, Laura Luzes Torres, tomou a decisão por unanimidade.

O Prémio Máxima Literatura é o único prémio literário exclusivamente atribuído a mulheres em Portugal e tem como valor pecuniário 4 mil euros.

Leonor Xavier nasceu em Lisboa numa tradicional família da Lapa e foi para o Brasil em 1975 com os três filhos e o marido que, tendo sido saneado no pós-25 de Abril do cargo de professor da Faculdade de Direito de Lisboa, foi convidado a dar aulas na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Viveu depois no Rio de Janeiro, tem dupla nacionalidade e regressou a Portugal em 1987. Formou-se em Filologia Românica na Faculdade de Letras, foi jornalista do "Diário de Notícias" no Rio de Janeiro, e mais tarde, em Portugal, redactora da revista "Máxima".

Leonor Xavier é também autora de "A vida não se perdeu”, biografia de Raul Solnado, de quem foi companheira durante mais de uma década; escreveu ainda a biografia de “Maria Barroso, um olhar sobre a vida” e ainda a biografia política de Rui Patrício, “A Vida Conta-se Inteira”.

A autora escreveu ainda os romances “Ponte-Aérea” (1983), “O Ano da Travessia” (1994) e “Botafogo” (2004). Em 2009, o prémio foi atribuído a “Myra” de Maria Velho da Costa.

20 de setembro de 2010

Lido no DN : Portugal já é líder mundial nos transplantes de rim

Portugal é o campeão mundial nos transplantes de rim e de fígado em apenas dois anos. Depois de ter conseguido liderar na transplantação hepática em 2008, o País conseguiu ultrapassar Espanha nos transplantes renais com dador cadáver no ano passado. Os dados integram a Newsletter Transplant, publicação da Organización Nacional de Transplantes e do Conselho da Europa.

Maria João Aguiar, coordenadora nacional das unidades de colheita da Autoridade para os Serviços de Sangue e da Transplantação aplaude os resultados: "Conseguimos manter-nos na liderança do transplante do fígado e ultrapassámos a Espanha no transplante renal com dador cadáver, que é a forma ideal". A diferença entre os dois países era mínima em 2008. Espanha fazia 44,9 cirurgias por milhão e Portugal 44,8. Agora, Portugal atingiu as 50 operações por milhão enquanto Espanha fez 44,8.

A Noruega apresenta um resultado global melhor no transplante de rim, mas baseia-se sobretudo na dádiva de órgãos em vida, que deve ser o último recurso, já que depende da dádiva altruísta das pessoas. Se Portugal fez 56,1 transplantes por milhão de habitantes (incluindo seis da doação em vida), a Noruega alcançou os 60,8. Porém, comparando apenas os dados de dador cadáver, Portugal ultrapassa largamente a actividade da Noruega com 50 transplantes contra 39,2.

Quase todo os transplantes subiram em 2009. Na colheita por milhão de habitantes Portugal fica em segundo lugar logo depois de Espanha. Uma subida de 16% num ano, para os 31 dadores de órgãos por milhão de habitantes. Espanha "continua a ser líder na actividade, têm um grande programa, mas quando mais alto se está mais difícil é ultrapassar essa barreira", diz.

O esforço dos hospitais, que nomearam coordenadores da colheita de órgãos, permitiu ultrapassar muitas dificuldades que conduziam ao desperdício de órgãos, que continua no entanto a existir. Com isso, Portugal atinge o limiar da auto-suficiência em quase todas as áreas da transplantação, o grande objectivo para o País.

"Recentemente fui apresentar o caso de Portugal em Bruxelas. Fomos convidados pela União Europeia para explicar o nosso modelo. É o reconhecimento da nossa capacidade organizativa", diz Maria João Aguiar. A médica realçou ainda que o Reino Unido "tem metade da colheita portuguesa e gastou milhões de libras com um programa. Agora querem saber como conseguimos atingir estes resultados com tão poucos recursos".

Os transplantes de fígado caíram no ano passado para 24 por milhão, quando em 2008 estavam em 25,8. Apesar disso, o País continua a ser o maior transplantador.

Salvo esta excepção, houve melhorias em todas as áreas: o cardíaco subiu de 3,9 para 4,4 cirurgias por milhão, número ainda assim abaixo do necessário devido à escassez de órgãos. Também nos pulmões houve melhorias: fizeram-se 11 transplantes em Santa Marta (mais 7). O transplante de pâncreas subiu de 1,34 para 1,9.

Ciência: Investigador de Coimbra premiado por solução inovadora para criar detergente de alto desempenho "inteligente"


Coimbra, 20 set (Lusa) – Uma solução científica inovadora desenvolvida por um investigador da Universidade de Coimbra para criar um material com propriedades de detergente que consegue diferenciar temperaturas para agir em metais diferentes foi premiada pela organização internacional Innocentive.

Concebida por Abílio Sobral, do Departamento de Química da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), a fórmula permite “gerar um composto orgânico de alto desempenho ‘inteligente’ capaz de, mediante a temperatura, remover resíduos (nomeadamente metais pesados) completamente diferentes”, segundo uma nota divulgada hoje.

Ao apresentar esta solução, Abílio Sobral foi premiado num concurso de ideias com um “Innocentive Award”, o terceiro que recebe da organização americana com o mesmo nome que estabelece uma interface entre as grandes empresas e a comunidade científica internacional para esta resolver problemas concretos da indústria, revelou hoje o químico à agência Lusa.

O investigador de Coimbra desenvolveu uma fórmula com agentes coordenantes para remover metais, alcançando “um material com propriedades de detergente que consegue diferenciar temperaturas para agir em metais diferentes em soluções aquosas”, segundo a nota da FCTUC.

“Por exemplo, a uma temperatura de 25 graus o detergente remove um metal e a uma temperatura de 80 graus remove outro completamente distinto. Assim, uma mesma molécula resolve vários problemas”, explica Abílio Sobral.

A solução, “eleita a melhor a nível mundial para um problema tecnológico, baseia-se no uso de macrociclos do tipo da clorofila na coordenação de metais em soluções de detergentes de alto desempenho (Mn2+ Chelation - INNOCENTIVE 9153999)”, adianta a nota.

A Innocentive “é a maior organização mundial de inovação dirigida para a resolução de problemas tecnológicos e humanitários nas áreas da química, física, biologia, saúde e diversas engenharias e tem parcerias com as mais prestigiadas instituições e empresas do mundo - mais de três dezenas de empresas eleitas pela Fortune integram a Innocentrive. São exemplos a NASA, a Nature e a Rockefeller Foundation”.

Com o valor de 20 mil dólares (cerca de 15 600 euros), trata-se do terceiro "Innocentive Award" que Abílio Sobral recebe, fazendo com que passe a integrar o "restrito grupo mundial de ‘Top Solvers da Innocentive’".

Segundo o comunicado da FCTUC, o primeiro galardão foi conseguido em 2006, pelo desenvolvimento de novos materiais de revestimento com moléculas orgânicas coordenantes, e o segundo em 2009, pela conceção de uma nova metodologia de aproveitamento dos resíduos de madeira para a produção de materiais de utilidade industrial do tipo fenólico.

Xangai2010: Portugal mostra os seus trunfos no setor das matérias-primas cerâmicas


Xangai, 20 set (Lusa) – Três das maiores empresas portuguesas de matérias-primas cerâmicas, setor considerado inovador e que já exporta para vários continentes, apresentaram hoje os seus produtos e tecnologias em Xangai, pela primeira vez.

“Quem quiser ganhar dinheiro e estar na globalização não pode deixar de estar na Ásia e especialmente na China. Não há quaisquer dúvidas quanto a isso”, disse à agência Lusa o diretor geral da Energia e Geologia, Carlos Caxaria.

A referida apresentação, realizada no pavilhão de Portugal na Expo 2010, no âmbito de uma semana de promoção do potencial geológico português, foi feita por responsáveis do Grupo Lagoa, Mota Ceramic Solutions e do Grupo Parapedra.

A designação matérias-primas cerâmicas engloba caulinos, areais especiais (usadas nos campos de golfe, por exemplo) e pastas para a indústria de cerâmica.

“É um setor altamente inovador, com tecnologia de ponta, que todos os anos cresce e que já exporta para o Norte de África, Irão, Israel e Europa”, disse Carlos Caxaria.

O mesmo responsável defendeu que Portugal “tem que criar estruturas para responder” a um mercado como a China, que é hoje o maior consumidor mundial de muitas matérias-primas, mas salientou que “os empresários portugueses também têm de deixar de olhar para o umbigo”.

“Os empresários, que têm dificuldade em associar-se, têm que aparecer em conjunto, com uma oferta comum para grandes obras, e avançarem em força”, disse.

Terça-feira, a promoção dos recursos geológicos portugueses será dedicada às rochas ornamentais, matéria-prima que Portugal já exporta para a China.

A Expo2010, dedicada ao tema “Better City, Better Life” (Melhores Cidades, Maior Qualidade de Vida”), é a maior exposição universal de sempre, com mais de 240 países e organizações internacionais.

O pavilhão português – um edifício de 2.000 metros quadrados, revestido de cortiça - já foi visitado por mais de três milhões de pessoas, um recorde na história da participação portuguesa em exposições universais.

19 de setembro de 2010

Raparigas e rapazes nascidos em 1992 : como fazer ?

Os cidadãos portugueses, de ambos os sexos, nascidos em 1992 que residam legalmente no estrangeiro, com carácter permanente e contínuo, há mais de 6 meses, ou que tenham nascido no estrangeiro e aí permaneçam, no que respeita ao cumprimento do dever militar de comparência ao Dia da Defesa Nacional, devem escolher, até 31 de Dezembro de 2010, uma das seguintes opções:

1 - Solicitar a marcação de dia de convocação para cumprimento do dever militar de comparência ao Dia da Defesa Nacional, através de fax, carta, ou e-mail, no qual deve constar nome completo, nº. e data de validade do documento português de identificação, filiação, morada, e dia preferêncial para convocação. Convém informar que o transporte é apenas assegurado em território nacional ;

OU

2 - Requerer a dispensa de comparência ao Dia da Defesa Nacional, através de requerimento, disponível na internet aqui, acompanhado de documento emitido pelo posto consular da área de residência, do qual deve obrigatoriamente constar a data a partir da qual ali passou a residir

Defesa: Dia Nacional começa na segunda feira, mulheres obrigadas a comparecer pela primeira vez



Leiria, 19 set (Lusa) – A 7.ª edição do Dia da Defesa Nacional, que começa na segunda feira em seis centros de divulgação de todo o país, abrange 132 118 jovens e, pela primeira vez, as mulheres estão obrigadas a comparecer.

“Até agora, apenas os cidadãos do sexo masculino eram convocados; a partir deste ano, por esta forma, cumpre-se a igualdade de direitos e deveres, sem distinção de género, no que diz respeito às obrigações militares dos portugueses”, informa o Ministério da Defesa Nacional (MDN), explicando que a comparência é “um dever de todos os cidadãos nacionais, podendo ocorrer a partir do primeiro dia do ano em que completem 18 anos de idade e enquanto a mantenham”.

O Dia da Defesa Nacional, que se prolonga até 27 de maio de 2011, pretende sensibilizar os jovens para esta temática e divulgar o papel das Forças Armadas, no que o MDN designa de “jornada de cidadania”.


Aos participantes “são proporcionadas palestras sobre os valores da Defesa Nacional e as suas obrigações militares enquanto cidadãos portugueses, sobre o mundo castrense, as suas missões e organização”.

Os jovens têm ainda a “oportunidade de assistir à cerimónia do hastear e arriar da Bandeira Nacional e a filmes alusivos à Defesa Nacional e às Forças Armadas”, podendo igualmente “conhecer, assistir e até participar em actividades operacionais da unidade” onde vão comparecer.

Esta edição começa em seis centros de divulgação da Defesa Nacional: Vila Nova de Gaia (Regimento de Artilharia n.º 5), Ovar (Aeródromo de Manobra n.º 1), Monte Real (Base Aérea n.º 5), Beja (Regimento de Infantaria n.º 3), Terceira Lajes (Base Aérea n.º 4) e Ponta Delgada (Campo Militar de São Gonçalo).

A iniciativa inclui ainda os centros de Braga (Regimento de Cavalaria n.º 6), Vila Real (Regimento de Infantaria n.º 13), Santa Margarida (Quartel de Cavalaria da Brigada Mecanizada), Alfeite (Base Naval de Lisboa), Queluz (Regimento de Artilharia Antiaérea n.º 1) e Funchal (Regimento de Guarnição n.º 3).

De acordo com o MDN a comparência dos cidadãos é feita em grupos de cerca de 130 pessoas por centro, “sendo garantido a todos os jovens transporte, pequeno almoço e almoço, numa jornada em que serão acompanhados por oficiais devidamente preparados para os esclarecer sobre vários aspetos ligados às problemáticas da Defesa Nacional”.

Para assinalar a abertura da 7.ª edição do Dia da Defesa Nacional, o secretário de Estado da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar, Marcos Perestrello, marca presença segunda feira, a partir das 10:30, na Base Aérea n.º 5, em Monte Real, concelho de Leiria.

17 de setembro de 2010

Astronomia: Investigador português recebe prémio internacional na Arménia


Porto, 17 set (Lusa) - O astrónomo Nuno Cardoso Santos, investigador do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP), recebeu hoje, na Arménia, o prémio internacional Viktor Ambartsumian.

Segundo o CAUP, o prémio, partilhado com os seus colegas Michel Mayor (Universidade de Genebra) e Garik Israelian (Instituto de Astrofísica das Canárias), foi atribuído pelo trabalho no estudo das estrelas que têm planetas em órbita e que fornecem indícios essenciais para a compreensão dos processos de formação planetária.

O galardão, no valor de cerca de 385.000 euros e considerado o mais importante na astrofísica depois do Prémio Nobel, será distribuído pelos três investigadores.

O Prémio Viktor Ambartsumian é atribuído, de dois em dois anos, e distingue investigadores, de qualquer país, por excecionais contributos para a ciência.

Este ano, foram nomeados 14 investigadores ou equipas, cabendo o prémio ao trio liderado pelo Professor Michel Mayor, que em 1995 codescobriu o primeiro exoplaneta à volta de uma estrela do tipo solar (51 Pegasi).

O júri que atribuiu o prémio é composto por físicos e astrónomos de renome, dos quais se destacam Martin Rees (Master do Tinity College da Universidade de Cambridge), Catherine Cesarsky (ex-diretora geral do ESO e ex-presidente da União Astronómica Internacional) e Geoffrey Burbidge (editor das revistas The Astrophysical Journal e Annual Review of Astronomy and Astrophysics).

Nuno Santos é autor de 128 artigos científicos publicados, com mais de 5200 citações.

Ao ter conhecimento do prémio, o investigador manifestou-se “obviamente muito feliz” e acrescentou “esperar, sobretudo, que este reconhecimento possa, de alguma forma, ajudar a astronomia nacional a fazer cada vez mais e melhor”.

Em comunicado, o CAUP refere que atualmente são conhecidos cerca de 500 planetas extra-solares, muitos dos quais (em especial os de pequena massa) descobertos pela equipa liderada pelo professor Michel Mayor.

Entre eles está o mais pequeno exoplaneta descoberto, Gliese 581e, com apenas 1,9 massas da Terra.

“Apesar do já elevado número de planetas extra-solares detetados, os mecanismos de formação destes sistemas são ainda pouco compreendidos. Por isso a equipa dedica-se também a tentar compreender melhor as propriedades destes sistemas planetários (e das suas estrelas-mãe), de modo a melhorar os atuais modelos de formação planetária”, acrescenta.

O Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) foi criado em maio de 1989 (Programa Mobilizador de Ciência e Tecnologia) e iniciou as actividades em outubro de 1990. É uma associação científica e técnica privada, sem fins lucrativos e de utilidade pública reconhecida.

É a maior unidade de investigação na área da Astronomia em Portugal, considerada como “Excelente” nas últimas avaliações de Unidades I&D, efetuada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

Prémio Camões: A poesia “valeu a pena” diz Ferreira Gullar que não vai parar de escrever tão cedo


Rio de Janeiro, 17 set (Lusa) – Emocionado durante a entrega do Prémio Camões 2010, na noite de quinta feira no Rio de Janeiro, o poeta Ferreira Gullar disse que toda a sua poesia “valeu a pena” e se depender dele, não vai parar de escrever tão cedo.

“Estou feliz porque eu vejo que os meus amigos e o pessoal que me lê estão felizes”, afirmou Gullar aos jornalistas após receber em mãos o prémio dos representantes dos Governos do Brasil e de Portugal.

Aos 80 anos, Ferreira Gullar é o 22º escritor a receber o mais importante prémio literário da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

“Eu nunca aspirei receber prémio algum, fico contente quando recebo. Tem um significado importante, mas não é isso que justifica o meu trabalho”, explicou o poeta maranhense.

“A poesia só me dá alegria porque quando se faz um poema a pessoa vive um tipo de experiência muito especial decorrente do espanto que a vida provoca, uma surpresa da descoberta do inesperado”, refletiu Gullar.

Comovido, o vencedor do Prémio Camões discursou ao receber a homenagem e arrancou risos do público presente para prestigiá-lo.

“Eu só vou dizer lugares comuns, primeiro que eu estou muito contente de ganhar esse prémio… imagina… só as pessoas citadas que foram premiadas, eu estou numa companhia de gente fina”, brincou.

Para o conselheiro Cultural de Portugal, Adriano Jordão, Ferreira Gullar é hoje, aos 80 anos, “um poeta jovem”.

“Quem ganha é o mundo da língua portuguesa e o mundo em geral. O grande escritor, o grande poeta, o grande interventor da vida pública, política e social, como foi Ferreira Gullar, torna-se uma figura de referência para a nossa própria reflexão”, disse à Lusa ao lembrar que desde a sua adolescência aprendeu a admirá-lo como autor.

“Ferreira Gullar representa muito um certo modo de estar brasileiro na vida, mas com coragem das suas posições. Muitas vezes nós somos surpreendidos com seu posicionamento humano. Isso é extraordinário”, destacou.

Segundo Adriano Jordão, o poeta brasileiro é “um homem que vive sempre o futuro, essa é que é a verdadeira juventude”.

O Prémio Camões, no valor de 100 mil euros, foi entregue na Fundação da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, que contou com a presença de amigos e admiradores de sua obra entre académicos, intelectuais e leitores.

Gullar foi escolhido pelo conjunto da sua obra, em reunião realizada pelo júri do prémio, em maio deste ano, no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa.

15 de setembro de 2010

Lido no Público : Morreu Francisco Ribeiro, fundador dos Madredeus

Francisco Ribeiro, fundador dos Madredeus, morreu hoje, vítima de cancro. Nos Madredeus até 1997, o violoncelista editou o seu primeiro a solo, “Desiderata – a Junção do Bem”, em Dezembro de 2009.


Em 1997, Francisco Ribeiro abandonou os Madredeus para completar a sua formação musical em Inglaterra. Longe do olhar público, o violoncelista regressou a Portugal em 2006 e, em Dezembro de 2009, ressurgiu em primeiro plano com a edição de “A Junção do Bem”, o primeiro álbum do seu projecto Desiderata. “O caminho que percorri [nos últimos anos] é o do autoconhecimento. Foi isso que tive de fazer quando me retirei do país. Quase um retiro espiritual que a música [de 'A Junção do Bem'] reflecte”, afirmou então em entrevista ao ÍPSILON. Francisco Ribeiro morreu hoje, depois de lhe ter sido diagnosticado um cancro no fígado.

Um dos membros fundadores dos Madredeus, participou como instrumentista e compositor nos álbuns “Os Dias da Madredeus”, “Existir”, “O Espírito da Paz” e “Ainda” e viveu o período de maior fulgor do grupo, quando este se afirmou não só como nome fulcral da música portuguesa, mas também como destaque nos palcos internacionais. Foi o seu período de “rock'n'roll e muita euforia”, recordava em Dezembro do ano passado. Abandonaria os autores de “O pastor” para reiniciar e concluir em Bath, Inglaterra, os estudos académicos de música que a intensa actividade do grupo interrompera.

Já de regresso a Portugal, gravou “Desiderata: A Junção do Bem” com a Orquestra Nacional do Porto, dirigida pelo maestro britânico Mark Stephenson. O álbum, em que colaboraram as cantoras Filipa Pais, Natália Casanova e Tanya Tagaq, o fadista José Perdigão e o guitarrista José Peixoto (também um ex-Madredeus), era visto pelo seu autor como uma digressão interior com um ponto em comum a todas as músicas, “o amor”, “a linguagem universal.”

“Desiderata” teve como mote o poema com o mesmo título do americano Max Ehrmann. Os seus primeiros versos surgiam, de resto, destacados no CD: “Vai placidamente no meio do barulho e da confusão, lembrando-te de quanta paz existe no silêncio.”

Luso Jornal n° 2 de 15 de Setembro de 2010



Nesta edição do LusoJornal pode ler :

Destaque
:
Fortes tensões no Conselho das Comunidades Portuguesas
Conselho Permanente dividido, fragiliza Presidente do órgão

Política :
Aurélio Pinto mandatário de Manuel Alegre para a França
Inês de Medeiros e Vasco Graça Moura discordam sobre a expulsão dos Ciganos em França
Jorge Sampaio comenta expulsões francesas
Alteração ao regime jurídico da eleição do Presidente da República apresentado pelo PSD

Comunidade :
Tortosendo assinou geminação com St Genis Laval e participou na Bienal de Dança de Lyon
Cerimónias de homenagem às vítimas do acidente ferroviário de Alcafache sem membros do Governo
António José Seguro consulta o CCP sobre o Conselho Económico e Social
Lula da Silva insta brasileiros emigrados a regressar ao país
Reformas dos Portugueses vão ser tema de Jornadas da CNAV
Consulado de Portugal em Estrasburgo abre serviços mais cedo
António Leão Rocha, novo Cônsul de Portugal em Bordéus
Grão Duque do Luxemburgo homenageou Aristides Sousa Mendes

Empresas :
CCIFP organiza uma formação sobre como criar uma TPE/PME em Portugal?
Almoço de ‘rentrée’ do Portugal Business Club de Saint Etienne
Importadores e jornalistas franceses visitam Região dos Vinhos Verdes

Cultura :
Livro de Manuel do Nascimento sobre as invasões de Napoleão em Portugal
“Respectez-moi”: Canção de Madalena Tabuco nas rádios francesas
Consulado de Paris lança Concurso de fotografia
Teatro: Instalação do Visões Úteis em Cluny para comemorar 1.100 anos da cidade
Exposição «Saudade d’nha terra» de Benvinda Pereira em Paris
Exposição do Centro Português de Serigrafia, em Grenoble
Concerto de guitarra e jazz na Embaixada de Portugal
Recitais de Maria João Pires em França
Música: ‘Dites 34’ participa no Festival Planície Mediterrânica de Castro Verde
Pintura: Jean-Claude da Silva expõe em Mont de Marsan

Ensino :
Jornada Portas Abertas no Instituto de Língua e Cultura Portuguesa (ILCP) de Lyon
Inscrições para os cursos de língua portuguesa no Instituto Camões de Paris
Inscrições para cursos de português em Montpellier

Media :
Embaixador de Portugal felicita regresso do LusoJornal
Documentário sobre Cesária Évora filmado em Paris estreia na RTP
Lusodescendente Bruno Belthoise convidado da France Inter
“Espaço Embaixada” regressa à Rádio Alfa

Associações :
Academia do Bacalhau de Paris festejou 12° aniversário e prepara Congresso Internacional
Associações da Alsácia e de Belfort juntas para ajudar vítimas da Madeira
Associação de Oloron Sainte Marie anima stand português na Feira de Pau
Portugal marcou presença na Feira de Corbeil
Entrega de uma carrinha para o Lar da terceira idade de Abobeleira Valdanta (Chaves)

Religião :
Procissão das velas no Santuário de Nossa Senhora de Fátima de Paris

Desporto :
Futsal: Sporting Club de Paris quer ganhar em todas as competições
Muitos golos no dérbi português do Val de Marne: Lusitanos de St. Maur B 3 – Sporting Club de Paris 5
Ténis: Emigrantes de Aulnay-sous-Bois venceram Open Amorosa, em Chafé
Todo-Terreno: Deceção do Team Andrade Competições nas 24 Horas de Paris
Nacional: Vitória do Créteil/Lusitanos já quase no caír do pano

Opinião :
“Um verão de fazer corar” por Aurélio Pinto
Opinião do leitor: “Voos diretos para Faro”
Poesia: “Na voz de um emigrante” por Rodrigo Silva

14 de setembro de 2010

Lido no Público : Ministério da Agricultura quer promover rolhas de cortiça através do rótulo das garrafas


Os rótulos das garrafas de vinho devem passar a indicar qual o material de que são feitas as rolhas, para ajudar os consumidores que queiram a exigir rolhas de cortiça, material amigo do Ambiente, anunciou o secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, ontem em São Brás de Alportel.

“Queremos que os consumidores possam identificar se o vinho tem o invólucro que desejam para poder escolher”, afirmou Rui Pedro Barreiro, apelando a que os consumidores exijam rolhas de cortiça para potenciar um “produto que é nosso”.

“Temos que proteger esta fileira essencial à economia”, afirmou o secretário de Estado, sublinhando que a cortiça é um material mais ecológico pois além de ser reciclável contribui para a fixação de carbono.

O governante falava à margem da inauguração da nova unidade de laminagem de cortiça aglomerada da Nova Cortiça, unidade que começará a funcionar em breve e que representa um investimento de 500 mil euros. Além disso, Rui Pedro Barreiro presidiu à assinatura de um contrato entre o ministério da Agricultura e a empresa para a construção de uma nova unidade de granulagem. O investimento nas duas novas unidades é superior a um milhão de euros, estando a unidade de granulação, orçada em 518 mil euros, ainda em fase de concepção, disse aos jornalistas António Correia, da administração da empresa. Cerca de 45 por cento do investimento é feito pelo Estado através de verbas provenientes de fundos comunitários (Programa de Desenvolvimento Rural do Continente - PRODER) e de uma pequena verba do orçamento geral do Estado.

A campanha de promoção das rolhas de cortiça, em contraponto às de plástico, - “I Love Natural Cork” - está esta semana em destaque num festival sobre sustentabilidade a decorrer em Londres. O festival “A Garden Party to Make a Difference”, de 8 a 19 de Setembro, é iniciativa do programa Start, do Príncipe de Gales. A Associação Portuguesa da Cortiça, citada pelo “Diário Económico”, considera que este evento “permitirá uma boa promoção da cortiça, já que por este espaço vão passar personalidades e celebridades que se podem juntar à causa da cortiça”.

Segundo o “Diário de Notícias”, as exportações de cortiça valeram a Portugal 263 milhões de euros, de Janeiro a Abril deste ano. Este valor traduz-se num aumento de dez por cento em relação ao período homólogo de 2009, segundo dados da Síntese Estatística de Comércio Internacional, elaborada pelo Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia, Inovação e Competitividade. Em 2008, esse valor foi de 311 milhões de euros.