24 de outubro de 2011

Fiche d'inscription



Merci d'envoyer une fiche d'inscription aux cours, comportant les informations suivantes :
Prénom
Nom de famille
Date de naissance
Adresse
Nº de téléphone
Mail
Nom du père ou de la mère
Actuelle classe suivie
Niveau de portugais :
                Parlé
                Ecrit
                Compréhension
Se rend en vacances au Portugal ?          oui          non
Merci de signaler éventuels problèmes de santé
Observations

Informations pour les cours de portugais

  • Il y a 32 enfants inscrits
  •  il y a 9 enfants de 6-7 ans ; 8 enfants dans la tranche d’âge 12-15 ; 15 enfants entre 7 et 11 ans
  •  les cours auront lieu les samedis après-midi, de 14h30 à 17h30
  •  les séances seront de 3 heures
  • 27 séances sont programmées, correspondant à 81 heures de cours
  • les dates des cours sont :
o   en Novembre 2011 : les 12, 19 et 26
o   en Décembre 2011 : les 3, 10 et 17
o   en Janvier 2012 : les 7, 14, 21 et 28
o   en Février 2012 : les 4 et 12
o   en Mars 2012 : les 3, 10, 17, 24 et 31
o   en Avril 2012 : les 7 et 28
o   en Mai 2012 : les 5, 12, 19 et 26
o   en Juin 2012 : les 2, 9, 16 et 23
·        
La La participation financière des familles, comprenant la quote-part des heures de cours, le déplacement du professeur et le matériel pédagogique, est de :

o   Pour 30 enfants confirmés :
-120 € par enfant, avec un coût de revient par heure de cours de 1,48 €
-115 € si 2 enfants, avec un coût de revient par heure de cours de 1,42 €
-110 € si 3 enfants, avec un coût de revient par heure de cours de 1,36 € 

o   Pour 25 enfants confirmés :
-140 € par enfant, avec un coût de revient par heure de cours de 1,73 €
-135 € si 2 enfants, avec un coût de revient par heure de cours de 1,67 €
-130 € si 3 enfants, avec un coût de revient par heure de cours de 1,60 € 

o   Pour 20 enfants confirmés :
-175 € par enfant, avec un coût de revient par heure de cours de 2,16 €
-170 € si 2 enfants, avec un coût de revient par heure de cours de 2,10 €
-165 € si 3 enfants, avec un coût de revient par heure de cours de 2,04 € 

o   Pour 15 enfants confirmés : 
                         -235 € par enfant, avec un coût de revient par heure de cours de 2,90 €
-230 € si 2 enfants, avec un coût de revient par heure de cours de 2,84 €
-225 € si 3 enfants, avec un coût de revient par heure de cours de 2,78 € 

·         Cette participation est payable en 1 fois, avant la première séance de cours

16 de outubro de 2011

16 de Outubro de 2011 : presença na Radio Alva

Presença na emissão da Radio Alva hoje de manhã, com o tema : Ensino em Nantes.

Importa que os pais interessados enviem uma mensagem ou um mail ao posto para indicar o n° de crianças e as suas idades, a fim que seja ponderada a abertura de uma aula na Sala Vasco da Gama, logo a seguir às férias de Outubro.

Se não houver pelo menos 15 crianças, a aula não abre !

15 de Outubro de 2011 : encontro com a comunidade portuguesa de Parthenay

‎15 de Outubro de 2011 : Encontro com a comunidade portuguesa de Parthenay e arredores hoje, a partir das 9h, na sala de casamentos da Câmara Municipal de Parthenay : forte presença dos portugueses habitantes nesta cidade do departamento "Deux Sèvres" assim como alguns vindos de Niort.

Pela segunda vez este ano, foi um excelente momento de troca de impressões e de informações, e facultei informa...ção detalhada sobre reformas e contagem de tempo, registo civil - em especial registo dos casamentos e dos nascimentos dos filhos, sucess­ões e partilhas, confirmação de sentenças de divórcio e registo dos mais recentes.

Recebi igualmente informação de um vereador sobre as famílias portuguesas recentemente chegadas e garanti que apoiaria o pedido apresentado pela Câmara para a abertura de classe suplementar a fim integrar as 19 crianças em idade escolar. Algumas dessas famílias estavam na sala e interpelaram-me sobre a supressão do professor que assegurava as aulas de português em Parthenay e Cerizay.

Aproveitei a deslocação a Parthenay para reunir com vereadores da cidade de Chiché, a 20 km de Parthenay, que escolheram Portugal como país em destaque ao longo do ano de 2012, e confirmei minha participação no dia 9 de Março de 2012, onde farei uma apresentação histórica do país, antes de um serão musical.

Finalmente, fui entrevistada pelo jornal "La Nouvelle République", cujos jornalistas assistiram aos últimos 30 minutos do encontro, tendo igualmente entrevistado vários compatriotas.

Antes de partir, visitei a sede da associação portuguesa e conversei com seus dirigentes.

Quero deixar aqui um sincero agradecimento ao luso-eleito José dos Santos, que organizou de bela maneira este encontro bem sucedido

11 de outubro de 2011

Abertura da semana de cinema em Nantes

A 14a. semana do cinema de língua portuguesa de Nantes estreou hoje de bela maneira com a apresentação do filme "Journal, Lettres et Révolutions" de Flavia Castro. Um debate animado pelo professor Guilherme Cavalheiro permitiu conhecer melhor o contexto histórico do filme.

Transcrevo a seguir uma entrevista da realizadora :

Você é uma filha do exílio, uma brasileira que nasceu de pais exilados e cresceu fora do Brasil. O título do filme, e o fato de você ter visitado os países onde morou durante os anos de exílio, deixa uma pulga atrás da orelha: por que não buscar o Brasil que você nunca conheceu.

Isso é complicado. O filme começa com a morte do meu pai. A morte dele é o que me deu vontade de fazer o filme e a busca é relacionada a isso, é uma tentativa de descobrir o que aconteceu, como ele morreu. Mas ao longo do filme isso se torna a busca da vida também. Acho que o filme junta essas duas coisas. A morte aconteceu depois do exílio em 1984. A busca é realmente sobre como meu pai morreu e é quase uma história policial que atravessa o filme todo. As viagens que eu faço ao longo do filme são para contar da minha vida, do ponto de vista meu, de criança, e com as cartas do meu pai, da época também, que são a visão dele.

E como essas duas partes se equilibram no filme ?

Eu escrevi um roteiro estruturado como se fosse uma ficção e com duas partes muito definidas e que iam se alternando ao longo do filme, de um lado, a vida, do outro, a morte. A vida do meu pai, com a volta aos países do exílio, países onde meu irmão Joca e eu passamos a infância. Eu queria transmitir o cotidiano da vivência do exílio, feita de pequenas coisas e não de grandes atos. Sensações e impressões, mais do que pensamentos. E com duas narrativas, duas vivências de uma mesma época se cruzando - a da minha infância, com textos meus e a do meu pai, através das cartas que ele escreveu ao longo da vida. A outra parte, é a do "presente" em que eu tento saber mais sobre as circunstancias em que meu pai morreu em 1984. Converso com policiais, médicos legistas, etc. Era a parte aberta do filme, pois eu não sabia o que iriam dizer, nem como acabaria.

Essa parte do roteiro mais aberto, por envolver terceiros que você não controla...

O meu pai morreu em Porto Alegre, em 1984, na casa de um alemão, ex cônsul do Paraguai no Brasil, uma história estranha, da qual se sabe pouco. E para tentar entender como meu pai morreu, eu fui conversar com jornalistas que cobriram o caso na época, com policiais e médicos legistas.. Essa parte do filme realmente era totalmente aberta, eu não tinha a menor idéia de como o filme ia acabar, se eu ia ter uma resposta pras minhas dúvidas.

E a parte que o roteiro era mais estruturado, mais escrito, era a parte da vida, onde desde o início eu sabia que eu queria ter essa visão da infância no exílio e a do meu pai, pelas cartas. O mais difícil foi integrar a investigação depois de filmada, porque era muita informação, eu não sabia como dosar isso.

Mas você acha que o filme foi tomando uma forma que já não acomodava tão bem essa parte da investigação ?

Apesar do mistério sobre a sua morte, a investigação não me interessava tanto quanto a vida, a trajetória. Mas as duas parte são indissociáveis, pois foi essa vida que levou a essa morte particular, e não à uma outra.

Esse não é seu primeiro trabalho com documentário, correto ?

Trabalho com cinema desde os 18 anos em cinema. Já fiz um pouco de tudo, mas sou basicamente roteirista. Minha trajetória profissional se divide entre a França e o Brasil. Na França, escrevia roteiros para series de TV. Mas foi como assistente de direção dos diretores Richard Dindo, em "Diário do Ché na Bolivia", e depois com Philippe Grandrieux, que me apaixonei pelo documentário. Atualmente acho que as fronteiras entre fição e documentário estão cada vez mais incertas e isso é muito bom.

Eu comecei a trabalhar em documentário com o Richard Dindo, documentarista suiço alemão. Fui assistente dele no filme "Diário do Ché na Bolivia". Foi uma experiência importantíssima para mim. Ele tinha um roteiro muito preciso, em que nada era improvisado. Logo depois, trabalhei com o diretor francês Philippe Grandrieux (diretor do filme Sombre) Ele mesmo filmava e tinha uma atitude que era exatamente inversa à do Dindo. Grandrieux chegava muito perto das pessoas com sua câmera, não cortava nunca, não pedia nada e ia integrando tudo que acontecia ao filme. O filme surgia desse fluxo entre ele e o "outro".

Esses dois métodos de trabalho que acompanhei de perto, me mostraram na prática, o quanto o documentário contemporâneo pode ser rico e diverso. Na França, aprendi também uma forma de trabalhar em produção muito mais econômica, em que as equipes são mínimas e os papéis menos rigidamente definidos do que aqui. Isso foi muito útil para fazer meu filme.

Bom, você fala de duas formas de se fazer documentário, um deles com roteiro totalmente estruturado, outro mais interessado em captar toda aquela realidade que cerca a realização de um filme. Fazer um documentário com roteiro fechado significa fazer dos personagens marionetes ou você pode dar espaço para as pessoas ?

O roteiro mais “fechado” no meu caso não era com relação às pessoas, mas com minha própria memória e forma de articular os elementos fílmicos. Eu fiz algumas entrevistas com a minha mãe nas quais ela fala coisas surpreendentes, que obviamente não estavam no roteiro mas entraram no filme. Mas quando eu digo fechado, é que eu sabia o que eu queria dizer, eu tinha os textos dos meus offs. Estruturado nesse sentido, pois eu sabia que o filme ia começar no Brasil antes do golpe, eu sabia como e o que eu queria contar com essa história. Mas não é um filme de depoimentos, é um filme que tem outras formas de contato, que tem uma narrativa particular nesse sentido porque há as cartas do meu pai, o ponto de vista dele próprio, do que ele vivia naquela época.

Mas o fato é que quando você vai entrevistar um médico legista, quando isso entra no seu roteiro, você imagina o que vem daquilo.

É complicado porque eu fui conversar com essas pessoas justamente para saber o que tinha acontecido. Então eu não tinha a menor idéia do que eu ia ter. Mas foi muito difícil montar depois, porque eu tinha muitas informações . Os militantes, por exemplo, os amigos, eu tive entrevistas de 3 ou 4 horas, teve alguns que entraram 5, 3 minutos no filme, outros nem entraram. Foi muito difícil, havia coisas muito lindas, era muito emocionante. Mas eu não queria que o filme avançasse só, pelos depoimentos, ele tem alguma coisa bastante ficcional na estrutura dramática dele.

Qual a responsabilidade de um diretor em um filme como esse ?

As mesmas que em qualquer outro documentário: descobrir o ponto de equilíbrio, o quanto é possível aceitar a exposição do outro, do "personagem" retratado. As vezes, até indo contra o desejo da pessoa.

Mas quando o "personagem" é o nosso próprio pai, - alguém muito próximo - e que além disso não está mais aqui para dizer o que pensa - , essa responsabilidade tem um lado absolutamente subjetivo. E justamente por isso, é bem mais difícil, eu acho.

A trajetória do meu pai se confunde com a história de toda uma geração de militantes que lutaram contra a ditadura no Brasil, que foram presos e depois exilados… É uma geração que sofreu o impacto de sucessivas derrotas, com as ditaduras se implantando pela America Latina afora e o projeto revolucionário sendo aniquilado. Acho que o filme revela um pouco do cotidiano dessa vivência, o lado íntimo. E isso inclui a família e o que eu chamo de “minha infância militante”, a vida das crianças no exílio. Havia muitas…

E sua carreira no Brasil? Você já tinha escrito e dirigido um curta de ficção no Brasil (“Cada um com seu cada qual”). Você está trabalhando num outro projeto atualmente?

Eu trabalho muito como roteirista, e agora eu escrevi esse primeiro longa, que se chama “A memória é um músculo da imaginação”, no qual eu estou trabalhando. Tenho também outros projetos de documentário. E quero muito fazer um filme com o material que sobrou do “Diário...”, com as entrevistas com os militantes.

14ème semaine de cinéma de langue portugaise du 10 au 15 octobre

RDV à ne pas manquertoute cette semaine : la 14ème semaine de cinéma de langue portugaise.

Consultez sur rmpm.net/cinema-portugal/semaine.html le programme.Bien que ce soit en semaine, l'horaire du soir au cinema Concorde (20h45) pourrait convenir à ceux qui travaillent en journée. Sinon, à 14 ou 15h, à l'Université, un film vous sera également proposé. Je compte sur votre présence !

Retour à la normale !

Blogger de temps en temps joue des tours, difficiles à comprendre et à suivre. Messages postés qui n'apparaissent pas, messages que l'on n'arrive pas à publier, plein de petites misères quotidiennes bien ennuyeuses !

Aujourd'hui tout semble être revenu à la normale. Croisons les doigts !

26 de setembro de 2011

CPLP: Lexicógrafos preparam unificação do Vocabulário de Língua Portuguesa

Cidade da Praia, 26 set (Lusa) – Lexicógrafos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) encontram-se reunidos em Cabo Verde para definir a metodologia destinada a consolidar os dois vocabulários já existentes.

Em declarações à Agência Lusa, o diretor executivo do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP), Gilvan Moller, indicou que o encontro visa também propor aos países que ainda não possuem o vocabulário, o programa para a criação deste instrumento, sendo esses os dois objetivos da reunião em que participam técnicos dos oito países que falam Português.

“Nesta reunião, vamos criar a metodologia para a consolidação dos dois vocabulários que já existem em Portugal e no Brasil num só, a partir de uma base informática comum e usando os mesmos critérios de incorporação das palavras”, explicou, antes do início da sessão de abertura do encontro que termina quarta-feira.

A consolidação dos dois vocabulários já existentes deverá estar pronto até à Cimeira de Maputo, prevista para julho de 2012.

“Vamos trabalhar com a perspetiva de uma metodologia para que possamos apresentar a primeira parte do vocabulário aos chefes de Estado na cimeira (da CPLP) de 2012. Além disso, será definido um programa para que os países interessados em criar o vocabulário próprio possam começar a trabalhar neste sentido”, disse.

“Também vamos propor aos países interessados, metodologias dos novos vocabulários que comecem a ser feitos, porque países como Cabo Verde, Guiné-Bissau ou Timor[-Leste] não têm o seu vocabulário. O cabo-verdiano usa, por exemplo, o de Portugal”, explicou.

“Vão-nos dizer que país pode começar imediatamente, qual vai demorar mais, mas só saberemos no final do encontro, quando cada país apresentar a sua visão”, acrescentou.

Para Gilvan Moller a existência de um vocabulário comum irá facilitar a aplicação do Acordo Ortográfico.

“Este vocabulário ortográfico está previsto no acordo de 1990 e a sua existência facilitará a aplicação do Acordo Ortográfico. É uma motivação para que os países que já ratificaram, mas que ainda não implementaram, possam desenvolver uma perspetiva de implementação a curto prazo, porque mostra que o acordo está consolidado, está implementado no Brasil e em implementação avançada Portugal”, garantiu.

Até ao momento, lembrou, faltam apenas as ratificações do acordo por parte de Angola e de Moçambique, países que estão presentes na reunião.

A representante angolana, Teresa da Costa, explicou à Lusa que, embora ainda não haja uma data para a ratificação, o país tem estado a preparar-se nesse sentido.

“Está previsto algum dia ratificar o acordo. Mas é uma questão de Estado e cabe ao Estado pronunciar-se sobre este assunto. Mas tudo indica que iremos lá chegar. Estamos na fase de estudos e levantamento do vocabulário, sobretudo o específico, que diz respeito ao país. Quando tivermos o trabalho de casa bem feito, se calhar o Estado irá pronunciar-se sobre a ratificação do Acordo Ortográfico”, disse.

Já em relação a Moçambique, que também ainda não ratificou o acordo, Inês Machungo, representante moçambicana, explicou que o país está a estudar a questão e a fazer o trabalho de divulgação.

“Há uma divulgação do acordo ortográfico a nível de todas as províncias do país para ver a aceitação e as dificuldades. Há já algumas questões levantadas, que deverão ser estudadas”, referiu.

21 de setembro de 2011

Cyril Pedrosa et son album "Portugal" à la Commune Libre de Bouffay à Nantes le mardi 20 septembre

La Mystérieuse Librairie à Nantes a fait fort aujourd'hui à Nantes, en présentant dans un même espace une exposition de photos d'Ana Teixeira et des planches de la bande dessinée de Cyril Pedrosa : "Portugal".

Les visiteurs et invités qui se sont préssés nombreux dans l'espace de la Commune Libre du Bouffay ont pu ainsi mieux connaître les motivations de Cyril pour aborder ce projet pharaonique et apprécier le travail original d'Ana. Ils pouvaient également suivre la projection d'un film sur le "making of" de la BD.

Une table-ronde, qui n'était pas une table et qui n'était pas ronde, a réuni 5 intervenants (Cyril Pedrosa, l'auteur, Ana Teixeira (photographe), Xavier Lozano Ribeiro (illustrateur), Carlos Pereira (directeur du Lusojornal) et moi-même, qui avons répondu aux questions d'Emmanuel Daney sur les thèmes de la double appartenance, l'identité, la distance et l'affectif, ainsi qu'aux questions des présents, beaucoup axées sur le travail de Cyril Pedrosa, son parcours, ses projets.

Je ne pense pas exagérer en disant que ce fut un moment d'échange très riche et intense. Et la journée s'est close autour du verre de l'amitié. Cyril sera à nouveau à la Librairie Mystérieuse le samedi 1er octobre (voir agenda) et d'ici là, rendez-vous à la Commune Libre du Bouffay pour visiter cette double exposition !

19 de setembro de 2011

Eleição para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira – Exercício de voto antecipado

Informa-se os portugueses residentes na área consular e que estejam recenseados na Região Autónoma da Madeira, que poderão exercer o seu direito de voto antecipado entre o dia 12º e 10º dias anteriores à data da Eleição para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, que terá lugar no 9 de Outubro de 2011, devendo para o efeito deslocar-se às instalações consulares, durante o horário de expediente.

O voto antecipado poderá ser exercido no caso de ser :
 
  • Militar, agente militarizado e civil integrado em operações de paz, cooperação técnico-militar ou equiparadas ;
  • Médico, enfermeiro ou cidadão eleitor integrado em missões humanitárias, como tal reconhecidas pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros ;
  • Investigador ou bolseiro em instituições universitárias ou equiparadas, como tal reconhecidas pelo Ministério competente ;
  • Estudante inscrito em instituições de ensino ou que as frequentem ao abrigo de programas de intercâmbio ;
  • Podem ainda votar antecipadamente os cidadãos eleitores cônjuges ou equiparados, parentes ou afins que vivam com os eleitores mencionados nas alíneas anteriores.
 
Para tal, deverá apresentar :
  • Cartão de eleitor, ou certidão de eleitor ;
  • Cartão de cidadão ou bilhete de identidade (ou outro cartão identificativo como carta de condução portuguesa ou passaporte)
  • Documento comprovativo da permanência em França. 

18 de setembro de 2011

Alma Lusa Nantes : primeiro ensaio

Realizou-se no sábado, dia 17 de Setembro, o primeiro ensaio do novo grupo coral "Alma Lusa Nantes". Aurélien Danielo e Claudia Brito, do grupo "Licor de Alma" conduziram este ensaio. "A mulher gorda" foi o tema musical escolhido nesta estreia !

Fotografias e videos no perfil Facebook do posto.

17 de setembro de 2011

Língua: Novo ritmo escolar em França preocupa coordenação do ensino do Português

Paris, 17 set (Lusa) – A anunciada alteração do ritmo escolar em França, com reforço dos dias letivos, é “motivo de apreensão” para os professores de Português, afirmou hoje a respetiva coordenadora à Agência Lusa em Paris.

“O problema é que será cada vez mais difícil conseguir adaptar as horas de Português à mudança de ritmo escolar anunciada pelo Ministério da Educação francês”, afirmou Adelaide Cristóvão, coordenadora geral do ensino do Português em França.

Só cerca de um quarto dos cursos de Português em França são lecionados em horário integrado. A situação mais comum é que o Português é lecionado em horários diferidos, no final da tarde e nos dias em que as escolas estão fechadas, origem aliás de outro tipo de dificuldades para as crianças que pretendem aprender a língua portuguesa.

Por enquanto, “estamos num compasso administrativo” de início de ano letivo para os cursos diferidos, entre a chegada dos professores e a sua apresentação nas respetivas inspeções de ensino, uma formalidade essencial para poderem iniciar o ano letivo.

Os cursos integrados começaram ao mesmo tempo que a generalidade das escolas do país, a 05 de setembro, abertura oficial do ano letivo de 2011-2012 em França, acrescentou Adelaide Cristóvão.

O motivo de apreensão adicional prende-se com a anunciada alteração de dias e de horários letivos para todas as escolas francesas.

Até agora, os alunos em França não tinham aulas à quarta-feira e, nos outros dias de semana, as aulas terminam às 16:30, o que possibilita o início de cursos de Português, em diferentes regimes, cerca das 17:00.

Com o aumento do ritmo escolar, que introduzirá também aulas à quarta-feira, intercaladas, as aulas terminarão mais cedo, o que coloca um problema de “como preencher horas ou tempos vazios antes das aulas de Português”.

O problema torna-se mais agudo quando se sabe que muitos dos alunos que frequentam Português têm de deslocar-se para uma escola diferente, muitas vezes noutra localidade, para ter a sua aula de hora e meia de “língua e cultura de origem”, ou ELCO.

Adelaide Cristóvão admitiu também que “têm aumentado as dificuldades de abertura de escolas à quarta-feira e aos sábados” para os cursos de Português.

“São problemas difíceis de gerir”, declarou.

“Por um lado, as preocupações de segurança são maiores e há mais entraves administrativos para que um professor fique ‘responsável’ por uma escola em dias em que não está o pessoal normal e em que é preciso abrir instalações de propósito”, explicou a coordenadora do ensino do Português.

“Por outro, a abertura das escolas para os cursos, à quarta e ao sábado, acarreta custos de pessoal e de instalações (aquecimento, etc.) que as coletividades territoriais (equivalente às autarquias) têm cada vez mais reservas em assumir”, segundo Adelaide Cristóvão.

A coordenadora do ensino sublinha também que “como é sabido, o Português não é muitas vezes acarinhado pelas instituições francesas e continua a ser visto como um ‘gueto’ da emigração”, apesar de oficialmente o ELCO se destinar a qualquer criança, com ou sem origem portuguesa.

Adelaide Cristóvão acrescenta que “é uma verdade que as línguas têm o peso económico dos seus países”, o que não beneficia Portugal.

No ano letivo anterior, existiam 11.300 alunos de ELCO em 607 escolas apoiadas pelo Estado português (que fornece os professores), quase 3.000 em Português como ”Língua Viva” em 42 escolas, cerca de mil alunos em 38 associações apoiadas por Portugal (em geral em zonas geográficas não abrangidas pelo regime ELCO) e 870 nas secções internacionais de uma dezena de liceus e de escolas primárias.

Designação de representante fiscal

De acordo com Acórdão do Tribunal de Justiça da União Europeia de 5 de Maio de 2011, não é exigível a imposição da designação de representante fiscal aos não-residentes com domicílio nos 27 Estados-Membros da União.
 
O artigo 130.° do Código do IRS previa a obrigação de designar um representante fiscal quer para os não residentes que obtinham em Portugal rendimentos sujeitos ao imposto sobre o rendimento quer para os residentes em Portugal, mas que se ausentavam do território nacional por um período superior a seis meses.

O Tribunal de Justiça considerou que, ao obrigar os contribuintes em causa a designar um representante fiscal, era imposta a obrigação de efectuar diligências e, na prática, de dever o contribuinte suportar o custo da remuneração desse representante.

"Tais obrigações são um incómodo para estes contribuintes, susceptível de os dissuadir de investirem capitais em Portugal e, nomeadamente, de aí fazerem investimentos imobiliários", declarou a sentença do tribunal.

Ainsi, foi eliminada uma diligência que muitos portugueses residentes na zona consular tinham dificuldades em compreender. Excusado será dizer que tal decisão não exonera os beneficiados das boas práticas em matéria de declarações fiscais !

1 de setembro de 2011

En Septembre, à Nantes, autour de Cyril Pedrosa...

  • à partir du 4 septembre : la Mystérieuse Librairie Nantaise éditera un ex-libris de Cyril Pedrosa numéroté et signé. L'achat de cette illustration permettra de participer à un tirage au sort. 5 gagnants, parmi les participants, seront invités à partager un petit déjeuner avec Cyril Pedrosa le samedi 1er octobre ;
  • une exposition croisée du 20 septembre au 1er octobre : Cyril Pedrosa exposera planches, dessins et recherches réalisés autour de l'album "Portugal" (Editions Dupuis), à la Mairie de la commune libre du Bouffay au 7, rue du Vieil Hôpital à Nantes. La photographe Ana Teixeira exposera ses clichés réalisés lors de différents voyages au Portugal, pays dont sa famille est également originaire. Portaits ou paysages, chacune de ses photographies explore une facette du Portugal.
  • Mardi 20 Septembre : conjointement à l'inauguration de l'exposition, une table-ronde sera organisée. Le débat s'appuiera sur les thèmes abordés dans l'album de Cyril Pedrosa : les migrations entre France et Portugal, l'héritage familial, les relations avec le Portugal entretenues par différentes générations. Des intervenants différents vous présenteront leurs différents points de vue, leurs témoignages, leurs différences. En collaboration avec le poste consulaire et d'autres partenaires, ce débat s'inscrit tout naturellement dans les animations réalisées par la municipalité dans le cadre de "Nantais venus d'ailleurs"
  • samedi 1er octobre : dans un restaurant du centre ville, les gagnants du tirage au sort pourront s'entretenir avec Cyril Pedrosa de ses différents projets, de son parcours professionnel, de son regard sur le métier, sur les thèmes du Portugal;
  • le même samedi, à 15 h : séance de dédicace dans les murs de la Mystérieuse Librairie Nantaise, 2, rue de la Paix à Nantes.
Vous avez le choix entre plusieurs événements et plusieurs dates ! Venez nombreux et surtout participez à la table-ronde !

Programme provisoire septembre 2012.


La rentrée se met doucement en place, avec beaucoup de choses qui se profilent à l'horizon pour le mois de septembre :

1 - Sur Facebook (www.facebook.com/portugalnantes) : mise en place d'un nouveau groupe "Agenda" où je mettrai tous les évènements dont j'aurai connaissance. Plutôt que d'envoyer des invitations, qui souvent se perdent dans la masse, vous pourrez consulter les infos sur tous les évènements.

2 - reprise des cours de portugais pour adultes débutants au consulat, en principe le dernier vendredi du mois, comme l'année dernière ; il y a des places disponibles. Première séance le vendredi 30 Septembre, de 18h30 à 20h30.

3 - j'étudie la mise en place de cours de portugais pour jeunes enfants, le samedi en début d'après-midi, cette fois-ci à la salle Vasco de Gama. Merci de me faire savoir si vous êtes intéressés par ces cours, par email, message privé ou tout autre moyen.

4 - première répétition de la chorale "Alma Lusa Nantes" sous la baguette d'Aurélien Danielo, une belle aventure commune, j'en suis sûre.

5 - lancement de la bande dessinée de Cyril Pedrosa sur le Portugal, à la Mystérieuse Librairie Nantaise, avec séance de signatures, exposition de photos et table ronde. Tous les détails dans un nouveau message qui va suivre celui-ci.

6 - exposition de photos de Georges Dussaud à Rennes.

7 - mise en place d'un questionnaire de satisfaction pour que ceux qui se déplacent au poste consulaire évaluent l'accueil et les informations reçues.

8 - priorité donnée à l'accueil téléphonique, l'un des points faibles, car une information correctement donnée évite beaucoup de problèmes.

9 - maintenant que le poste consulaire a juridiction sur la ville de Brest, ce qui n'était pas le cas auparavant, contacts afin de rencontrer les autorités françaises locales et organiser une rencontre avec la communauté portugaise de Brest et ses environs.

10 - visite d'une usine importante de la région.

11 - participation à l'émission de Radio Alva.

12 - organisation, une fois par mois, certainement le dimanche matin, d'un chat sur facebook afin que les échanges soient encore plus directs et ouverts : le premier se tiendra le dimanche 25 septembre, de 10h à 12h30.

13 - participation à une réunion du comité de pilotage de la Quinzaine Culturelle.

14 - rencontre avec un représentant de la "Communauté de Communes Coeur d'Estuaire" pour un nouveau projet, vous en saurez plus bientôt !

15 - réunion du conseil de fonctionnement de la salle Vasco de Gama.

Voilà un bref résumé. En tout cas, l'intention est simple : informer plus et mieux, être à l'écoute des besoins et prendre les mesures qui s'imposent pour y répondre, dans la limite des moyens financiers et humains.

"Rentrée"...

1 de Setembro de 2011 : "C'est la rentrée" como dizem os franceses ! Espero que todo tenham passado excelentes férias, tenham retemperado forças e renovado ânimo para os próximos meses.

Setembro é um mês em que se decidem coisas, programam-se projectos, eventos, após ter aproveitado a pausa estival para fazer balanços e retirar algumas conclusões.

Este posto consular e a sua titular não escapa a esta regra, pelo o que vai ser publicada uma mensagem sobre algumas novidades e o programa provisório das actividades do mês de Setembro, com focus nos eventos associados à publicação pela Editora Dupuis do album de Cyril Pedrosa, "Portugal" !

17 de agosto de 2011

Música: Livro "Fado de Portugal - 200 anos de fado" reúne história da canção com dois CD

Lisboa, 17 ago (lusa) – O livro “Fado de Portugal – 200 anos de fado”, de autoria de Samuel Lopes, que será editado a 05 de setembro, reúne “a informação essencial sobre esta canção referenciando as suas principais figuras”, disse o autor.
 
Samuel Lopes, editor discográfico, afirmou que o livro com dois CD surge pela “necessidade do mercado de uma obra que resuma a informação essencial sobre o fado não de forma académica nem com muitos detalhes técnicos, mas que fosse uma espécie de guia para os curiosos do fado”.

“Este trabalho reflete também a minha experiência enquanto editor [discográfico] nesta área. Sendo um resumo histórico do essencial do fado, procuro dar também uma perspetiva desta canção nos dias de hoje”, disse.

Além do fado de Lisboa, o livro, num total de 270 páginas, “inclui uma referência ao fado de Coimbra e, nos dois CD, apresenta-se uma audição mais clássica, de Augusto Camacho, e outra contemporânea, com a interpretação de ‘E alegre se fez triste’, por António Ataíde”.

Referindo-se aos 200 anos de fado, Samuel Lopes disse que "não há uma data precisa ou um acontecimento concreto" que marque o aparecimento do género, "até porque o fado não surgiu de um dia para o outro". "Julga-se que seja no início do século XIX que o fado terá surgido em Lisboa, e aproximadamente, 2011 coincide com 200 anos do fado”, defendeu.

Quanto às origens, o autor afirmou que o fado “nasceu em Lisboa, resultado de uma série de circunstâncias e fusões culturais e sociais”.“Surgiu no ambiente multicultural que caracterizava Lisboa”.

Hoje, sustentou, “o fado é mais aberto até porque é um género que não está encerrado em si, projeta influências e recebe influências. Tem, por exemplo, aproximações do jazz”.

Na sua história, o fado teve “momentos complicados, como aquele que se seguiu ao 25 de abril de 1974, e houve uma certa ostracização”.

Os CD dividem-se em “Fado Tradicional” e “Fado Contemporâneo”. No primeiro integram-se nomes como Amália Rodrigues, Mariana Silva, Maria Teresa de Noronha, Lucília do Carmo, Argentina Santos, Carlos Ramos, Frutuoso França, Maria Amélia Proença, entre outros.

No segundo CD encontramos nomes como Mísia, Ana Moura, Carminho, Helder Moutinho e as estreias absolutas de Filipa Maltieiro, Miguel Ramos, Ana Margarida Pinto, Filipa Tavares, e de Natalia Juskiewicz que toca fado ao violino. A violinista polaca escolheu o tema “Com que voz”, do compositor Alain Oulmain.

Além do livro e dos dois CD, esta edição inclui um guia das casas de fado, tanto em Portugal, como no estrangeiro. Samuel Lopes descobriu que se canta o fado em São Paulo, no Brasil, Tóquio, Toronto, no Canadá, Amesterdão ou Genebra.

9 de agosto de 2011

Motivo 30 : Almofadas de Caroço de Cereja


Almofada com caroços de cereja no interior, 100% natural, feita à mão em Portugal, com conhecidos benefícios nas dores musculares, relaxamento, etc.

Motivo 29 : Chocolates Regina


Depois do seu relançamento em 2002, a Regina tornou-se líder nacional no segmento de amêndoas e avelãs cobertas com chocolate e detém a segunda posição na categoria de fantasias de chocolate. Está hoje presente em mais de 20 países, entre eles EUA, Canadá, Brasil, Venezuela e Itália.

8 de agosto de 2011

Motivo 28 : Licor Beirão


Surgiu no século XIX na Lousã, ainda sem o nome pelo qual hoje é conhecido, e era comercializado numa farmácia. Tem por base diversas plantas – eucalipto, canela, alecrim e alfazema.

Motivo 27 : Bordados de Viana do Castelo


Bordados de algodão e lã muito antigos, utilizados nos trajes das mulheres do campo. Os motivos dos bordados são baseados na fauna e na flora da região, bem como no quotidiano das camponesas minhotas.

Motivo 26 : Tapete de Arraiolos


Tapetes bordados em lã sobre uma tela de juta, algodão ou linho característicos da vila alentejana de Arraiolos.

Motivo 25 : Renda de Bilros


Arte portuguesa com especial expressão no litoral, em especial nas zonas de Peniche e Vila do Conde.

Motivo 24 : Eduardo Serra


É único português nomeado para os Óscares, tendo já alcançado o feito por duas vezes: em 1997 (As Asas do Amor) e em 2003 (Rapariga com Brinco de Pérola). O seu trabalho mais recente como director de fotografia pode ser visto em Harry Potter e os Talismãs da Morte, parte um e dois.

motivo 23 : Cavacas


A receita deste doce nasceu nos conventos portugueses. Contém ovos, açúcar, farinha, óleo de girassol e baunilha. São típicas de várias zonas do país.

6 de agosto de 2011

Motivo 22 : Benfeito 2008

Vinho produzido pela empresa Olivewine especialmente para Angola, com a causa de defender a palanca. Uma garrafa de 18 litros foi vendida por 21.600 dólares. Ricardo Guerra e Pedro Sequeira são os enólogos

Motivo 21 : Couro Azul, pele para assentos de carros e aviões


O grupo Carvalhos nasceu em Alcanena em 1939, e desde aí tem crescido. Nos anos 90 especializou-se em assentos em couro para carros, aviões e barcos, trabalhando para as melhores marcas.

Motivo 20 : Siza Vieira


É o mais conceituado e premiado arquitecto português, tendo no seu palmarés o Pritzker (1992). As suas obras estão espalhadas por todo o mundo, desde a Alemanha, aos Estados Unidos, da Coreia do Sul ao Brasil.

Motivo 19 : Souto de Moura


Vencedor deste ano do Pritzker, considerado o Nobel da arquitectura. A sua obra mais conhecida do público é o Estádio do Sp. Braga.