31 de dezembro de 2009

Bom Ano 2010


O Vice Consulado de Portugal em Nantes deseja a toda a comunidade portuguesa desta área uma boa noite de fim de ano, onde quer que estejam, e um ano 2010 cheio de felicidade, saùde e paz.

Nova ligação aérea Nantes - Porto e Nantes - Funchal


A companhia aérea Transavia abre duas novas linhas a partir de 31 de Março de 2010 : Nantes - Porto e Nantes - Funchal. Todas as informações são disponibilizadas no site www.transavia.com ou pelo nº de telefone 0 892 058 888.

29 de dezembro de 2009

23 de dezembro de 2009

Manoel de Oliveira entre os melhores de 2009 para a revista "Cahiers du Cinema"


A mais recente longa-metragem de Manoel de Oliveira, adaptado de um conto homónimo de Eça de Queirós e apresentado em Fevereiro no Festival de Berlim, surge a meio da lista dos dez melhores filmes estreados ao longo do ano de 2009 escolhidos pela redacçao desta conceituada revista de cinema :




  • Les Herbes folles , Alain Resnais
  • Vincere , Marco Bellochio
  • Inglourious Basterds , Quentin Tarantino
  • Torino , Clint Eastwood
  • Singularités d’une jeune fille blonde , Manoel de Oliveira
  • Tetro , de Francis Ford Coppola
  • Démineurs , Kathryn Bigelow
  • Le Roi de l’évasion , Alain Guiraudie
  • Sonata , Kiyoshi Kurosawa
  • Hadewijch , Bruno Dumont

22 de dezembro de 2009

Ceia de Natal recomendada por nutricionistas portugueses

Entrada : Esparregado de nabiças

Ingredientes (para 6 pessoas):
1 molho de nabiças, 1 cebola pequena, 6 dentes de alho, 1/2 dl de azeite, 1 dl de leite magro, sal moderado, 1 colher de sopa de farinha de trigo, 1 colher de sopa de vinagre

Preparação: Cozem-se as nabiças em água temperada com sal, escorrem-se muito bem e reduzem-se a puré. Picam-se a cebola e os alhos e refogam-se ligeiramente com azeite. Juntam-se as nabiças e salteiam-se sobre o lume. Dissolve-se a farinha no leite frio, junta-se às nabiças e deixa-se cozer, mexendo. Ao sair do lume, adiciona-se o vinagre.

Prato principal : Peru recheado

Ingredientes (para 10 pessoas):

1 peru com 3 quilos, 200 g fígado de frango, 200 g moelas de frango, 500 g de castanhas descascadas, vinho do Porto, 2 dl de vinho branco, 2 dl de cerveja, 3 cenouras, 250 g. de penca, 3 cebolas grandes, azeite

Preparação: De véspera, ponha o peru bem lavado numa bacia com água, sal, sumo e rodelas de limão. No dia, coza as castanhas e triture-as. Salteie os legumes com um fio de azeite e junte às castanhas trituradas. Junte um gole de vinho do Porto e misture bem. O preparado deverá ficar bastante compacto. Encha a cavidade do peru com este preparado e cosa a abertura com linha. Cubra uma assadeira grande com cebola às rodelas e adicione o azeite. Coloque o peru na assadeira, regue com cerveja e vinho branco em partes iguais e um pouco de vinho do Porto. Polvilhe o peru com uma pitada de sal. Leve ao forno médio. Durante a cozedura, vá regando com o molho que se forma na assadeira. Se for necessário, acrescente vinho branco e cerveja. Quando o peru estiver lourinho, cubra com alumínio e deixe continuar a assar (menos 3315 Kcal e mais 13,2 g de fibra do que a receita tradicional).

Sobremesa : Rabanadas

Ingredientes: 7 fatias de pão de forma integral, 200 ml de leite magro, 1 colher de chá de essência de baunilha, 2 colheres de sobremesa de açúcar, 3 colheres de sopa de água, 1 ovo, 1 clara, açúcar moderado e canela para polvilhar

Preparação: Misture o leite magro, o açúcar e a baunilha. Bata ligeiramente o ovo e a clara. Adicione três colheres de água e misture bem. Passe cada fatia de pão no leite e em seguida no ovo batido. Coloque as fatias na forma e leve ao forno bem quente, pré-aquecido (280º), aproximadamente oito minutos. Vire as rabanadas na metade do tempo, para dourarem dos dois lados (menos 1120 Kcal do que a receita tradicional).

Bom apetite !

20 de dezembro de 2009

Lido no Público : Bacalhau da Consoada : como escolher os melhores ?


Quer-se bem seco. E de cor amarela palha. Deve ter a forma de uma asa e o tradicional corte em três bicos que mostra que a cabeça lhe foi retirada mal foi pescado. Segredos para escolher o bacalhau

Bacalhau para nós, portugueses, é de todas as maneiras: cru, frito, cozido, assado nas brasas ou no forno. Tem é que ser do salgado e seco. O fresco que o comam outros, pois não nos serve para a noite da Consoada, a refeição das refeições das famílias portuguesas. Por isso, o bacalhau é, entre nós, um assunto muito sério. A tal ponto que, um chefe de família minhoto, cioso da paz entre os seus, mandava que, "à mesa", não se discutisse "política, religião e bacalhau". Faz, então, todo o sentido informarmo-nos sobre como escolher o melhor.

Não há grandes dúvidas sobre o tema entre cozinheiras e cozinheiros de restaurantes, mães de família ou apreciadores em geral: o bacalhau quer-se bem seco, o que implica que, à vista, nos surja largo, em forma de asa, com a cor amarela palha e uniforme, sem manchas escuras, que indicam que o peixe foi mal sangrado; ou cor-de-rosa, que revelam que o excesso de humidade e o mau armazenamento o tornaram defeituoso.

Também é essencial que o seu cheiro característico seja limpo e não desagradável. Será ainda vantajoso para o comprador pegar no bacalhau pelo lado do lombo e testar-lhe a horizontalidade. Não é necessário que fique, como diz o outro, "firme e hirto". Admite-se que vergue ligeiramente, ficando, no entanto, quase direito. Este é outro sinal iniludível que estamos perante um bacalhau bem curado e bem seco.

Do rifoneiro existente sobre o tema, vale a pena reter o dito que ensina que "bacalhau bom não é o que é mole, antes o que se mete nos dentes". Daí que os apreciadores mais exigentes, alguns dos quais se dão ao requinte de terminar a cura dos bacalhaus em suas casas, afirmem que, quanto mais desidratado, melhor é o bacalhau, o qual não deverá exceder os 30 por cento de humidade - embora as normas comunitárias europeias admitam teores de humidades mais elevados.

Percebe-se, assim, por que é que a cura e a secagem são dois momentos essenciais para conferir ao bacalhau as qualidades que lhe reconhecemos e exigimos. O sal e o sol são ingredientes imprescindíveis nestas operações, embora, nos dias de hoje, a cura quase tenha deixado o ar livre, transferindo-se para estufas.

Cura amarela

A secagem é uma operação de desidratação, designando-se "quebra" a diferença de peso entre o "bacalhau verde" - assim se designa o peixe salgado no momento do desembarque - e o bacalhau seco tal como o adquirimos. Quando os nossos lugres iam pescar nos mares da Terra Nova e da Gronelândia, ao fundearem, no regresso, junto das secas, nos portos de Viana do Castelo, Aveiro, Figueira da Foz e Setúbal, o "bacalhau verde" era metido em grandes tinas, onde era escovado para lhe retirarem o sal. Depois, os peixes eram dispostos sobre tabuleiros de grade montados em cavaletes, inclinados na direcção do sol, para que secassem. Ao fim da tarde, recolhia-se o peixe, que era prensado sob uma grande rodela de madeira, virado com a pele para baixo. A operação repetia-se tantas vezes quantas as necessárias a uma boa cura.

Chamava-se cura normal à que era feita, de forma intensiva, durante todo o dia, excepto nas duas horas e meia do meio-dia, por causa da intensidade do sol. Actualmente, este tipo de cura é feita sobretudo em estufas a temperatura uniforme e sempre com muita ventilação, para que o ar quente circule. Podem secar-se até 300 quintais (medida de peso correspondente aproximadamente a 60 kg) de bacalhau por dia.

Quanto à chamada cura amarela, a mais desejada pelos apreciadores, é aquela em que o bacalhau é seco sem ser colocado directamente ao sol. Por isso, sempre que o sol está muito intenso, ele é recolhido. O mesmo sucede quando está nevoeiro. Antigamente, os peixes assim curados eram chamados bacalhau inglês. Hoje, noruegueses e ingleses ainda utilizam este método. Em Portugal é raro porque é mais exigente e mais caro.

Um bacalhau de cura normal fica com a superfície coberta por uma camada fininha de sal com aspecto de algodão; um de cura amarela, além de mais duro, ostenta uma cor amarela acastanhada, dando ideia que o peixe esteve exposto ao fumo, embora o não tenha estado.

Fresco ou congelado?

Quando olhamos para um bacalhau seco exposto numa banca também podemos saber se ele foi ou não amanhado, limpo e salgado mal foi pescado. Se foi, revela o tradicional corte em três bicos na sua parte mais larga. Isto porque, mal o peixe é capturado, é-lhe retirada a cabeça, sendo o corte feito à faca ao longo da abertura das guelras, mantendo o lombo que termina junto à parte posterior da cabeça. O peixe está fresco e permite esta operação.

Já se o bacalhau é capturado por navios-fábrica, lê-se no site do bacalhau da Noruega (www.mardanoruega.com), o peixe é congelado de imediato. Ao chegar às fábricas em terra, devido ao estado de rigidez, separar a cabeça só se torna possível com um corte a direito, feito habitualmente com serra.

Acrescenta a mesma fonte que "para voltar a conseguir um estado de maleabilidade que permita o corte à faca, é necessário descongelar o bacalhau em água do mar purificada por ionizador e com temperatura controlada". Mas a maior parte das fábricas de transformação não possui este tipo de tanques de descongelação.

Como reconhecer se um peixe foi mal descongelado para ser transformado em salgado seco? Segundo o mesmo site, parece simples: "Apresenta normalmente algumas mazelas na carne ao longo da zona da espinha". A todas estas informações disponibilizadas pelo organismo oficial norueguês não é estranha a circunstância de sermos os maiores consumidores de bacalhau da actualidade.

Mensagens de Natal do Sr. Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas e do Sr. Embaixador de Portugal em França

MENSAGEM DE NATAL DE SEXA SECRETÁRIO DE ESTADO DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS

Dirijo-me às portuguesas e aos portugueses residentes no estrangeiro para a todos desejar um Feliz Natal.

O Natal é um tempo social que apela à reflexão, simbolizo a paz, a harmonia e estimula o permanente desejo de encontro entre os homens, entre culturas ou na família. É neste tempo, mas também na circunstância da nossa história, com os constantes desafios colocados pela ambição do desenvolvimento, que Portugal tem mais presente todos os seus que tão laboriosamente dão conta de si, da sua cultura, das suas origens, nos mais longínquos lugares do mundo.

Nessa lembrança, para além dos sentimentos de pertença, de partilha de uma cultura, e, também, de uma língua cada vez mais importante, o sinal de proximidade materializa-se no testemunho que o esforço do país constitui, ao criar e desenvolver instrumentos e mecanismos para uma melhor vivência da cidadania, independentemente da distância a que cada um se encontre do seu país,

Há muito caminho a percorrer porque há um sentido de vinculação da Diáspora a que o país não pode ser alheio. Há parcerias que estão por fazer e que, na era da globalização, podem ajudar muito na construção das relações entre Portugal e os Países de acolhimento e bem assim contribuir, de modo significativo, paro a sua plena integração social e económico, para a internacionalização da economia e das empresas.

Por outro lado, torna-se imperioso dar mais razão aos afectos, à saudade.

Há mais razão para a solidariedade que faça, sustentadamente, as pontes sociais, cujos pilares nascem das múltiplas actividades desenvolvidos pelas associações que as comunidades portuguesas souberam fazer nascer.

Encorajo o movimento associativo para que coopere mais entre si e possa congregar melhores recursos para combater os focos de carência que eventualmente atinjam compatriotas. Este é o tempo de reunir instrumentos, de concentrar energias, para dar maior dimensão ao papel social dessas organizações, já de si relevantes, que o Estado português apoia qualitativamente.

Dentro das limitadas possibilidades económicas, também o país está a concentrar esforços no sentido de melhor apoiar essas organizações e os compatriotas a quem a vida deixou de sorrir, com extrema necessidade, residentes no estrangeiro, através de programas de carácter social cada vez mais abrangentes e reforçados financeiramente.

Vivem-se tempos de grande complexidade cujas respostas aos problemas muito beneficiarão do dinamismo e da positividade com que sempre os portugueses encararam o mundo nas mais adversas condições a que a Diáspora os desafiou. Nesta quadra, bem marcada pela fraternidade, pelo espírito de solidariedade, cuja principal representação nos transporta à reunião da família, importa despertar e mobilizar as consciências colectivas,

Renovo os desejos de Um Natal em paz a todos os portugueses e aos luso-descendentes e também a todos quantos, como os nossos militares e forças de segurança, no estrangeiro, desenvolvem serviço público para que os outros possam ver garantidos direitos de cidadania, paz e liberdade.

Boas festas e um próspero Ano Novo.


Mensagem do Embaixador de Portugal

Nesta quadra festiva, envio a toda a Comunidade de origem portuguesa em França uma mensagem de grande simpatia com os meus votos de que 2010 possa ser um ano em que todos encontrem o sucesso e a realização pessoal a que aspiram.

Há menos de um ano neste país, devo dizer que aprendi imenso com a dignidade e perseverança dos cidadãos portugueses e luso -descendentes que hoje constituem, em França, a maior Comunidade que Portugal tem no exterior. Nestes meses, tive o ensejo de poder encontrar, já um pouco por todo o país, muitos portugueses e luso-descendentes que, com grande lealdade, dão hoje o seu contributo à vida nacional francesa.

Para um representante diplomático, é altamente reconfortante ter uma Comunidade que é vista como uma das mais positivas e construtivas contribuições para o país que a acolhe. Da mesma maneira, é um orgulho verificar como esses portugueses continuam a sentir-se ligados a Portugal, num culto de memória que nos cumpre ajudar a manter. Neste particular, desejaria saudar, muito especialmente, as estruturas associativas portuguesas em França e os órgãos de comunicação social que actuam no seio da Comunidade.

O mundo dos portugueses em França mudou muito nas últimas décadas, em grande parte graças ao seu próprio esforço, noutra medida devido ao modo como a França os soube acolher. O resultado acabou por ser uma integração de sucesso, que tem como consequência o conjunto de oportunidades que hoje se abrem para as novas gerações, onde os casos de êxito pessoal e profissional são cada vez maiores.

Espero pode ajudar a contribuir, nos anos futuros, para que os cidadãos de origem portuguesa continuem a ver a sua Embaixada, bem como o conjunto das estruturas oficiais portugueses em França, como casas que lhes pertencem e das quais têm o direito de receber um serviço à altura das suas expectativas.

Termino reiterando a todos os votos de muito Boas Festas.

Francisco Seixas da Costa

Embaixador de Portugal em França

Message de I ‘Ambassadeur du Portugal

En cette période de festivités, j'aimerais adresser à toute la Communauté d'origine portugaise en France un message d'amitié et de sympathie et leur présenter à tous mes vœux sincères pour que l'année 2010 puisse leur apporter le succès et la réussite personnelle auxquels ils aspirent.

En poste dans ce pays depuis moins d'un an, je dois reconnaître avoir beaucoup appris avec la dignité et la persévérance des citoyens portugais et «luso descendants» qui constituent aujourd'hui en France la plus grande Communauté portugaise à l'étranger. Au cours de ces derniers mois, j'ai eu l'opportunité de rencontrer, déjà un peu partout dans le pays, de nombreux portugais et « luso-descendants » qui apportent aujourd'hui, avec une grande loyauté, leur contribution à la vie nationale française.

Il est hautement gratifiant, pour un représentant diplomatique, de pouvoir compter sur une Communauté considérée comme I' un des apports les plus positifs et constructifs dans son pays d'accueil. De la même manière, on ne peut que se sentir fier de constater combien ces portugais continuent à se sentir liés au Portugal, dans un culte de la mémoire que nous nous devons de contribuer à maintenir. Sur ce point, je souhaite saluer très particulièrement les structures associatives portugaises en France et les relais de la communication sociale agissant au sein de la Communauté.

Le monde des portugais en France a beaucoup changé au cours des dernières décennies, surtout grâce à leurs efforts, mais, dans une autre mesure, comme conséquence de l'accueil que la France a su leur prodiguer. Le résultat s'est avéré être une intégration réussie, qui aura permis un ensemble d'opportunités désormais ouvertes aux nouvelles générations où les exemples de succés personnel et professionnel sont croissants.

J'espère pouvoir contribuer, dans les années à venir, à ce que les citoyens d'origine portugaise continuent à considérer leur Ambassade, ainsi que I'ensemble des structures officielles portugaises en France, comme leur propre foyer desquels ils sont en droit d'espérer des services à la hauteur de leurs attentes.

A tous je réitère mes Meilleurs Veux.

Francisco Seixas da Costa

Ambassadeur du Portugal en France

16 de dezembro de 2009

Luso Jornal n° 236 de 16 de Dezembro de 2009

Educação: População activa portuguesa é das que tem menos habilitações literárias - estudo

Lisboa, 16 Dez (Lusa) - Portugal é dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) com "maiores carências" de educação na população activa mas os estudantes de hoje podem vir a mudar essa realidade, aponta um estudo do Conselho Nacional de Educação.

O estudo, a que a Agência Lusa teve acesso, analisa dados do Programa de Avaliação Internacional de Estudantes, patrocinado pela OCDE.

No que toca às habilitações literárias das pessoas entre 25 e 64 anos, em 2005, o nono ano era o máximo a que tinham chegado três quartos das pessoas, o que coloca Portugal no grupo dos "países mais atrasados", como México, Brasil ou Turquia.

Comparando com outros países europeus, Portugal fica muito atrás: na Dinamarca, por exemplo, apenas um por cento da população activa tinha em 2005 habilitações abaixo do sexto ano (em Portugal, o número atinge 59 por cento), enquanto 50 por cento concluiu o ensino secundário (em Portugal, não passa dos 13 por cento).

"As habilitações portuguesas a nível dos seus parceiros da OCDE, só são comparáveis com países que se situam fora da Europa", refere o relatório, acrescentando que entre 1960 e 2005, é "pelo menos decepcionante" o ritmo a que aumentou a taxa de escolarização da população.

No meio de um "quadro geral muito negativo" da evolução da educação no século XX, Portugal pode ainda ter "um raio de esperança", indica o relatório, que olha para os "resultados nos testes escolares a Ciências, Matemática e Leitura dos filhos da mão-de-obra activa portuguesa" para dizer que "estão a caminhar mais depressa do que a média da OCDE".

"Pode estar a emergir perante os nossos olhos um padrão de crescimento convergente", refere-se nas conclusões do relatório, que destaca a importância de prudência na comparação de estatísticas mas aponta como factores positivos a "ajuda dos professores e os investimentos feitos na educação de forma sustentada desde o início da década de noventa".

Numa comparação entre os resultados dos alunos de vários países da OCDE em testes de Ciências, Matemática e Leitura realizados em 2006, Portugal, embora não esteja nos lugares cimeiros (ocupados por países como a Finlândia, Coreia do Sul ou Canadá), já se aproxima mais de países europeus como a Itália ou Luxemburgo.

Olhando para a prática de outros países, os responsáveis pelo relatório indicam que as políticas educacionais seguidas professam quase todas a importância dos primeiros anos de escolaridade e destacam que o ciclo da educação primária é, em países como o Reino Unido, Irlanda ou Japão, de seis anos, com um único professor generalista.

Na definição de currículos escolares, as práticas de outros países analisados centram-se na "definição de metas de aprendizagem e o destaque dos tópicos mais importantes no sentido de evitar abordagens superficiais".

Um aspecto que o relatório identifica como carecendo de estudo é a retenção dos alunos no mesmo ano, da qual "Portugal apresenta ainda níveis demasiado elevados comparativamente com outros países desenvolvidos", reportando-se a dados dos anos 2000, 2003 e 2006.

"Comparativamente com Espanha, Irlanda e Japão, Portugal é o país onde existe maior proporção de alunos que ficaram retidos no mesmo ano de escolaridade mais do que uma vez", frisa o relatório.

UE/Imigração: Portugal encabeça lista de comunidades imigrantes em França e no Luxemburgo - relatório

Estrasburgo, França, 16 Dez (Lusa) - Portugal é o principal país de origem dos estrangeiros radicados em França e no Luxemburgo e o terceiro na Suíça, de acordo com um relatório do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia sobre imigração, hoje divulgado.

Por outro lado, Brasil, Cabo Verde e Ucrânia são os principais países de origem dos imigrantes registados em Portugal, revela o relatório do Eurostat, com dados referentes a 2008.

De acordo com o documento, a comunidade portuguesa em França é de 492 000 cidadãos, o que equivale a 13,6 por cento da população de estrangeiros legalmente radicados no país, ligeiramente acima das comunidades argelina (477 500) e marroquina (365 900), sendo que estes dados são de 2005.

Já no Luxemburgo, a comunidade portuguesa é ainda mais representativa, em termos proporcionais, já que os 76 600 cidadãos portugueses registados representam mais de um terço (37,2 por cento) dos estrangeiros radicados no Grão-Ducado, bem à frente das comunidades francesa (26 600) e italiana (19 100).

Na Suíça, a comunidade portuguesa, de 183 000 emigrantes, é a terceira maior (11,4 por cento do total de estrangeiros a residir no país), apenas atrás de Itália (291 000) e Alemanha (203 000).

Quanto a Portugal, no ano passado residiam no país 446 000 cidadãos estrangeiros (4,2 por cento da população), dos quais apenas 116 000 oriundos de outros Estados-membros da União Europeia.

Aliás, as três maiores comunidades imigrantes em Portugal são de países terceiros, designadamente Brasil (70 100), Cabo Verde (64 700) e Ucrânia (39 600), segundo os dados do Eurostat.

Em termos gerais, em 2008 viviam 30,8 milhões de cidadãos estrangeiros nos Estados-membros da UE, 11,3 milhões dos quais oriundos de outros países do espaço comunitário e 19,5 milhões de países terceiros.

14 de dezembro de 2009

Lusa : Portugueses de Nantes bem integrados e bem vistos pelas autoridades locais - deputado PS


Lisboa, 14 Dez (Lusa) - A comunidade portuguesa residente em Nantes, França, está bem integrada e é bem vista pelas autoridades locais, disse hoje à agência Lusa o deputado do PS pela Europa, Paulo Pisco.

"Não tenho notícia de haver problemas com a comunidade portuguesa em Nantes. Está bem integrada, vive em perfeita harmonia com as outras comunidades e pude constatar que tem um enorme reconhecimento por parte das autoridades locais", disse o deputado.

Paulo Pisco falava à Lusa na sequência da visita que realizou àquela cidade francesa no fim-de-semana.

No âmbito da visita, o deputado pela Europa teve encontros com dirigentes associativos, a quem incentivou a realizarem algumas mudanças.

"O movimento associativo de Nantes é extraordinariamente dinâmico, mas disse-lhes que deveriam abrir-se a outras comunidades. O associativismo português não pode ser fechado", defendeu.

Paulo Pisco esteve ainda reunido com a vice-cônsul de Portugal em Nantes, Rosa Maria Ribeiro, e esteve presente numa cerimónia de homenagem ao ex-vice-cônsul Antero Aires.

O deputado socialista recebeu ainda a medalha da cidade de Nantes, atribuída pelo presidente da câmara local.

Na região de Nantes residem oficialmente 38 mil portugueses.

Lusa : Reforma da rede consular, internacionalização da economia e língua são prioridades - Secretário de Estado


Lisboa, 14 Dez (Lusa) - O secretário de Estado das Comunidades declarou hoje que as prioridades deste seu mandato serão a consolidação da rede consular, a internacionalização da economia, com ajuda dos empresários das comunidades, e a Língua portuguesa.

"Em primeiro lugar, a prioridade será para consolidar as reformas que se fizeram na frente da rede diplomática e consular, especialmente no que diz respeito no serviço aos cidadãos que esta rede presta em todo o mundo", declarou à Agência Lusa António Braga, à margem do encontro "Mulher Migrante, Perspectivas Sociais e Culturais", que decorreu hoje em Lisboa.

Após as eleições de Setembro, com a manutenção do PS no Governo, o secretário de Estado das Comunidades, António Braga, foi confirmado para um segundo mandato.

"A língua portuguesa neste mandato é a prioridade no que diz respeito quer ao ensino do português no estrangeiro, junto das comunidades portuguesas, quer ao nível da internacionalização da língua, quer também no contexto da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa)", referiu.

"Por isso, fez-se a reestruturação do Instituto Camões, que finalmente no próximo ano passará na plenitude a tutela para o Ministério dos Negócios Estrangeiros e esta é a reunião de instrumentos que era importante para implementar esta política da língua portuguesa no estrangeiro", salientou ainda o secretário.

Outra prioridade mencionada pelo governante é a internacionalização da economia com a parceria dos empresários das comunidades portuguesas no exterior.

Sobre o Netinveste, António Braga disse que "é a primeira política pública dirigida aos empresários das comunidades portuguesas, naturalmente também aos empresários que têm sede em Portugal. É reconhecer as potencialidades também no domínio da internacionalização da economia e do tecido empresarial português através dos empresários das comunidades portuguesas".

"É uma ideia que foi lançada há dois anos e meio, que tem vindo a ser trabalhada justamente para também juntar aqui instrumentos. É preciso montar uma rede de balcões para motivar quer o investimento em Portugal, quer facilitar parcerias entre empresas portuguesas com sede em Portugal e empresas portuguesas com sede no estrangeiro, uma vez que são propriedade de portugueses", garantiu António Braga.

O secretário de estado das Comunidades disse que "este programa que se candidatou ao QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional), justamente no sentido de poder financiar o seu suporte organizacional e cuja candidatura está na sua fase final".

"Logo que esteja financiado pelo QREN, que eu acredito que muito proximamente acontecerá, lançaremos toda a articulação do programa, transformando ou dando contributos para que a rede diplomática e consular possa transformar-se numa via verde não só para percorrer toda a informação associada ao investimento em Portugal, mas especialmente fomentando as parcerias entre as empresas portuguesas em Portugal e portuguesas no estrangeiro", disse o secretário.

"Evidente, que são prioridades no que diz respeito a organização programática, mas há todos os outros aspectos do relacionamento com a diáspora, potenciar os acordos bilaterais com os países de acolhimento. Tudo isso se faz sentir num programa que pretende resguardar os direitos dos cidadãos portugueses que vivem no estrangeiro e também assinalar o vínculo de presença e a ligação contínua entre os portugueses que estão fora e os portugueses que estão dentro (de Portugal)", finalizou.

13 de dezembro de 2009

Lusa : protocolo possibilita distribuição de milhares de livros nas comunidades portuguesas


Milhares de livros serão distribuídos nas comunidades portuguesas no âmbito de um acordo assinado hoje entre a Secretaria de Estado das Comunidades e a Imprensa Nacional-Casa da Moeda, informou o gabinete do secretário de Estado.

No total serão distribuídas 400 mil obras de Literatura, História, Poesia, Teatro, Espistolografia, Filosofia, Ensaio e Critica, entre outros, às associações portuguesas no estrangeiro, nomeadamente gabinetes de leitura, leitorados e escolas portuguesas.

"Trata-se de uma cooperação com a principal instituição na edição de obras de inegável valor literário e científico que enriquecerá o espólio quer das estruturas diplomáticas e consulares, quer das associações das comunidades portuguesas", declarou António Braga à Agência Lusa.

"É também um contributo para o conhecimento e a ligação não apenas da língua, mas igualmente à História, à cultura que cada uma dessas obras dá testemunho", acrescentou o secretário.

"Pretende-se assim contribuir de forma activa para a promoção da literatura e do conhecimento, através da doação de livros do seu acervo à DGACCP (Direcção-Geral dos Assuntos Consulares das Comunidades Portuguesas), que se encarregará da sua distribuição pelo mundo", informou ainda o gabinete do secretário.

Os donativos são efectuados sem qualquer contrapartida pecuniária ou comercial.

11 de dezembro de 2009

Nova cédula militar

A Portaria n.º 1405/2009 de 10 de Dezembro aprovou o novo modelo de cédula militar, com a entrada em vigor reportada a 1 de Outubro de 2009. As anteriores cédulas militares emitidas mantêm -se válidas.

Luso Jornal n° 235 de 9 de Dezembro de 2009

Lusa : museóloga Natália Correia Guedes defende regresso a Portugal de obras espoliadas espalhadas pelo mundo

Lisboa, 10 Dez (Lusa) - A museóloga Natália Correia Guedes defendeu hoje, em Lisboa, o regresso a Portugal de importantes obras do património nacional espoliado "espalhado por todos os continentes", exemplificando com o caso concreto de peças que se encontram em museus de França.

A especialista, ex-directora do Museu do Oriente, e que este ano foi eleita a personalidade do ano pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM), falava perante uma audiência de museológos durante uma sessão de apresentação de novas publicações do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC) realizada no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA).

A sessão contou com a presença da nova direcção do Instituto dos Museus e da Conservação, liderada por João Brigola, acompanhado pelos sub-directores da sua equipa, Filipe Serra e Graça Filipe.

Natália Correia Guedes fez a apresentação do número 3 da revista anual "Museologia.pt" e terminou o seu discurso com um apelo ao novo director do Instituto no sentido de "resolver as grandes questões em curso no sector dos museus".

No final da sessão, em declarações à Agência Lusa, a museóloga deu pormenores sobre o valioso património levado de Portugal no início do século XIX, durante as invasões napoleónicas, e que se encontra actualmente em importantes museus em Paris e noutras cidades francesas.

"No Louvre, existem porcelanas portuguesas, no Museu de Lyon estão colchas indo-portuguesas e no Museu de História Natural de Paris está a nossa melhor colecção de história natural", exemplificou.

Para a museóloga, "é importante lançar a reflexão sobre esta questão de forma a tornar possível a vinda dessas peças, mesmo que temporariamente, para que o público português as possa conhecer".

Lusa : Casa da Música do Porto estreia webtv com transmissão gratuita em directo de concerto


Porto, 11 Dez (Lusa) - A Casa da Música (CdM), no Porto, estreia hoje às 21:00 um canal de televisão na Internet, com transmissão gratuita em directo do concerto "A Heróica de Beethoven", pela Orquestra Nacional do Porto.

"A casadamusica.tv - www.casadamusica.tv - é um site, de acesso livre e gratuito, que permite visualizar concertos ao vivo, em qualquer parte do mundo, com imagem e som de qualidade", salienta a CdM, na apresentação do canal.

O site disponibiliza ainda o acesso a outros conteúdos em arquivo relacionados com a actividade da Casa da Música, em registo vídeo, áudio, fotográfico e literário.

"Com esta iniciativa, a Casa da Música entra para um clube muito restrito de casas da música no Mundo com uma programação regular de concertos transmitidos online e em directo", salienta a fonte.

Para a CdM, "trata-se de um passo muito significativo no sentido de abrir a Casa da Música ao universo virtual da música, ultrapassando as barreiras físicas da distância".

Esta webtv insere-se no modelo de acesso gratuito, devido ao apoio da FCCN - Fundação para a Computação Científica Nacional.

Durante as transmissões em directo, o site irá disponibilizar informações sobre o programa de cada concerto, como as obras em execução e biografias dos músicos e maestros.

Em 2010, os utilizadores da casadamusica.tv poderão assistir a 20 transmissões em directo das actuações dos agrupamentos residentes da CdM e dos concertos do ciclo Jazz e Piano, entre outros.

O calendário de transmissões já definido integra oito concertos, entre 16 de Janeiro e 14 de Novembro, da ONP, Remix Ensemble, Coro da CdM e Orquestra Barroca da Casa da Música.

Madère à Nantes

Le marché touristique à Madère connaît une croissance notable, notamment du marché français. L'actualité au niveau de l'offre est importante, tant qu niveau de l'aérien que de l'hôtellerie et des activités touristiques.

L'Association de Promotion de Madère et l'Office de Tourisme du Portugal ont invité les agents touristiques locaux à parfaire leur connaissance de la destination et découvrir quelques unes des nouveautés en rencontrant des représentants des compagnies aériennes, des hôteliers et des réceptifs de l'archipel. Le rendez-vous s'est tenu aux bateaux nantais, quai de la Motte Rouge, et a été suivi d'un dîner en croisière.

10 de dezembro de 2009

Lido no Público : espólio integral de Fernando Pessoa online em 2010


O espólio integral de Fernando Pessoa vai estar disponível online no próximo ano através da Biblioteca Nacional Digital, departamento da Biblioteca Nacional de Portugal que disponibiliza 10.500 títulos em formato electrónico.

A digitalização do espólio do poeta “ficará concluída no presente ano”, assegurou Helena Patrício, directora de Serviços de Sistemas de Informação da Biblioteca Nacional (BN), que inclui o Serviço de Gestão de Conteúdos Digitais. Ainda de acordo com a responsável, das obras de autores portugueses disponibilizadas na Biblioteca Nacional Digital (BND) nos últimos dois anos, destacam-se, pelo seu carácter único, “os 29 cadernos manuscritos e o dactiloscrito da ‘Mensagem’ de Fernando Pessoa e os documentos dos espólios de José Saramago, Antero de Quental e Camilo Pessanha”.

Camilo Castelo Branco, António Feliciano de Castilho, Almeida Garrett, Alexandre Herculano ou Eça de Queirós são outros dos autores representados na BND, cujas obras foram digitalizadas a partir do fundo documental da Biblioteca Nacional.

Helena Patrício assinalou ainda que estão prontas para colocação online 472 mil imagens de jornais portugueses do século XIX e de livros antigos impressos em Portugal no século XVI.

A funcionar desde 2002, a BND registou, entre Janeiro e Agosto deste ano, mais de cinco milhões de consultas, com destaque para o espaço dedicado a Eça de Queirós (através do endereço purl.pt/93), que recebeu cerca de 7500 visitas mensais, o portal Fernando Pessoa (purl.pt/1000), com 3600 visitas por mês, e “Os Lusíadas” (purl.pt/1), com 1500 visitas em cada 30 dias.

A directora de Serviços de Sistemas de Informação explicou à Lusa que - com vista “à valorização e divulgação do património documental português” - a digitalização tem privilegiado os documentos em função da “antiguidade, raridade, carácter único e interesse histórico-cultural”, sendo ainda tidas em conta as tipologias menos disponibilizadas noutras fontes ou colecções, “como a iconografia e a cartografia”.

4 de dezembro de 2009

Promoção do turismo na Madeira em Nantes a 10 de Dezembro de 2009


O Turismo de Portugal vai estar presente em Nantes no próximo dia 10/12/2009 com um workshop "Turismo da Madeira".

O evento vai ser realizado num barco “Les Bateaux Nantais” a partir das 18h00, seguido de um jantar em cruzeiro.

Vão estar presentes cerca de 15 empresas da Ilha da Madeira (Hotéis, agências receptivas, a Região de Turismo da Madeira e a equipa de turismo de Portugal em França), tendo sido convidadas as agências de viagens e operadores de Nantes.

Uma bela iniciativa de divulgação do potencial turístico do nosso país, esperando-se que tenha forte impacto junto dos "nanteses".

Luso Jornal nº 234 de 2 de Dezembro de 2009

30 de novembro de 2009

Lido na Lusa : Cancro : Portugueses descobrem pela primeira vez gene mutado

Lisboa, 30 Nov (Lusa) - Investigadores portugueses identificaram pela primeira vez um gene mutado no cancro gastrointestinal que poderá servir num futuro próximo como biomarcador de prognóstico ou ajudar a desenvolver novos fármacos.

O trabalho, a publicar em breve pela revista Human Molecular Genetics, foi realizado por uma equipa do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP) liderada por Raquel Seruca, em colaboração com colegas do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA) e do Instituto de Biotecnologia e Bioengenharia (IBB) do Instituto Superior Técnico.

"Desde há muito tempo que nos preocupamos em encontrar genes mutados, especialmente nos cancros colo-rectal e gástrico, que possam servir como biomarcadores para perceber o estado da doença, modificar a terapêutica dos doentes ou desenvolver novas drogas", disse Raquel Seruca à Lusa.

"A novidade da descoberta é que este gene nunca até agora tinha sido descrito como estando mutado no cancro e vai ser descrito pela primeira como um gene participante no desenvolvimento do cancro colo-rectal e do estômago, e provavelmente implicado noutro tipo de neoplasias" - sublinhou.

Durante o estudo, que demorou cerca de três anos, os investigadores analisaram uma série de tumores de doentes de várias origens (Finlândia, França, Itália, Suécia e Espanha) nos quais constataram mutações do novo gene em cerca de 21 por cento dos casos de um tipo particular de cancro colo-rectal e do estômago.

Como se tratava de um gene novo e era necessário perceber a importância das alterações, foi submetido a múltiplos estudos, nomeadamente bioinformáticos, nos quais participaram as equipas de Arsénio Fialho, do IBB, e de Peter Jordan, do INSA, explicou a geneticista.

Os trabalhos incidiram em culturas celulares in vitro e em ratinhos atímicos in vivo para perceber a importância das mutações.

Os investigadores concluíram que essas mutações eram capazes de modificar o comportamento das células, tornando-as agressivas e invasoras, tendo por isso capacidade oncogénica, e que o gene mutado participa no cancro colo-rectal.

Raquel Seruca salientou que este gene “poderá constituir um novo alvo terapêutico, um biomarcador para prognóstico do cancro ou servir para perceber quais os tipos de doentes que podem beneficiar de algumas terapêuticas que estão a ser utilizadas no cancro colo-rectal e, eventualmente mais tarde, no do estômago”.

O estudo foi conduzido por Sérgia Velho, uma estudante de doutoramento da equipa de Raquel Seruca, que chefia o grupo da Genética do Cancro do IPATIMUP.

O grupo estuda essencialmente alterações genéticas envolvidas na iniciação de alguns tipos de neoplasias, nomeadamente nas do estômago, do cólon e da mama, ou em alterações genéticas que participam na invasão celular, num processo importante do desenvolvimento do cancro.

"Estudamos uma série de moléculas que são importantes na modificação das propriedades adesoras entre células e portanto perturbadoras da estrutura dos tecidos", explicou a investigadora.

26 de novembro de 2009

23 de novembro de 2009

Bilhete de identidade


O bilhete de identidade é o principal documento de identificação e serve para provar a identidade do seu titular em Portugal e nos países da União Europeia.

Não há idade mínima para obtenção de bilhete de identidade.

Apenas o próprio pode requerer bilhete de identidade, sendo a presença sempre necessária para assinaturas, impressões digitais e altura.

Existem vários tipos de pedido de bilhete de identidade :
  • emissão de bilhete de identidade pela primeira vez, para menores de 18 anos e maiores de 18 anos
  • renovação do bilhete de identidade sem alterações
  • renovação do bilhete de identidade com alteração do estado civil
  • renovação do bilhete de identidade com alteração do estado civil e do nome
  • renovação do bilhete de identidade com alteração de residência
  • renovação do bilhete de identidade em mau estado de conservação
  • renovação do bilhete de identidade em caso de perda ou roubo

20 de novembro de 2009

18 de novembro de 2009

19 e 20 de Novembro : colóquio "Res publica, République, República : matrices, héritages, singularités"

Res publica, République, República : matrices, héritages, singularités

Une République centenaire : le Portugal. Questions autour d'une problématique. Concept défini au croisement de différents domaines de connaissances, l'idée de République connaît aujourd'hui de profonds questionnements. Si au XIXe siècle cette idée apparaît comme une réponse à l'Etat moderne, à l'ère de la mondialisation nous assistons, paradoxalement, au retour de concepts ambivalents tels du nationalisme et de l'identité qui, d'une part, sont liés à l'idée de République, mais d'autre part peuvent la relativiser et menacer sa légitimité. Dans ce contexte, le projet républicain est au centre du débat car il met en question le rapport entre l'homme et l'organisation politique. Comme d'autres espaces géopolitiques, le Portugal et le Brésil sont directement impliqués.

Depuis au moins le XVIIIe siècle la France a exercé une influence certaine dans la formation des élites tant au Portugal comme au Brésil. Dans ces pays, ainsi que dans d'autres pays sud-américains, les idéaux révolutionnaires ont façonné la pensée et les oeuvres de poètes et de philosophes. Systématiquement refoulés, les mouvements indépendantistes se sont inspirés des valeurs-phares de la République française, la France étant le modèle pour les mouvements d'avant-garde tant idéologiques qu'artistiques et littéraires. Dans ce sens, il est possible de suivre l'un des points de convergence entre la France et le monde lusophone depuis au moins trois cents ans. Afin de marquer les 220 ans de la Révolution française, les 120 de la République au Brésil et les 100 ans du républicanisme au Portugal, notre colloque reprend les matrices du Portugal moderne, jette la lumière sur les héritages qui perpétuent le dialogue entre l'Europe et le Brésil, et souligne les singularités de la civilisation brésilienne et qui font du Brésil un Etat républicain moderne.

Renseignements:
carlos.Maciel@univ-nantes.fr
anabeatriz.barel@univ-nantes.fr

Adresse :
UFR de Langues - Centre International des Langues
Chemin de la Censive du Tertre
BP - 81277
44300 NANTES

Pour se rendre au Centre International des Langues (CIL) :
- en tramway : arrêt Ecole Centrale Audencia ;
- en voiture : du périphérique ou de A11, sortie « Porte de Gesvres » (en provenance
de Paris), ou « Porte de la Chapelle » (en provenance de Bordeaux), au rond-point,
direction « Université », après croisement de la ligne de tramway, au feu à gauche.
1 9 - 2 1 n o v e m b r e 2 0 0 9

Programme du 19 Novembre 2009 :

9H00 - Ouverture du colloque M. Eduardo LOURENÇO

9H30 - TABLE RONDE 1 : Les matrices du Brésil républicain dans la littérature et dans les arts: Euclides da Cunha, Afonso Arinos, Olavo Bilac, Pedro Américo - Président de séance: Carlos MACIEL (Université de Nantes )

  • Regina ZILBERMAN (Université Fédérale du Rio Grande do Sul - UFRGS) : « A guerra do sertão entre monarquistas e republicanos: Afonso Arinos, Os Jagunços e Euclides da Cunha, Os Sertões ».
  • Jorge COLI (Université de Campinas - UNICAMP) : « Scientisme, décadentisme et deux chefs-d'oeuvres de l'art républicain brésilien : Os Sertões de Euclides da Cunha et Tiradentes esquartejado de Pedro Américo ».
  • Maria Aparecida RIBEIRO (Université de Coimbra/IEB) : « Olavo Bilac e a Educação na República».

10h45 - TABLE RONDE 2 : Les héritages du modèle français: la République au Brésil et en Afrique - Président de séance: Renato JANINE RIBEIRO (Université de São Paulo - USP)
  • Richard MARIN (Université ToulouseII/FRAMESPA) : Entre Maurras et Mounier : l’influence de la culture catholique française sur l’Eglise brésilienne ».
  • Augustin EMANE (Université de Nantes/MSH Ange Guépin - IEA de Nantes) : « Une autre illustration de l'importation du modèle républicain: l'Afrique subsaharienne ».

11H45 - Pause déjeuner

13H30 - TABLE RONDE 3 : Les singularités des terres du Brésil: cartes, lettres et images de la République brésilienne - Président de séance: Ana Beatriz BAREL (Université de Nantes)
  • Karen MACKNOW LISBOA (Université Fédérale de l'Etat de São Paulo - UNIFESP) : « Olhares cruzados: a nascente República brasileira vista por viajantes europeus, os Estados Unidos da América na mira de brasileiros ».
  • Jonas SOARES DE SOUZA (Université de São Paulo - USP/Musée Républicain de l'Etat de São Paulo ) : « República do Café ».

16H00 - * Séance Ciné Club 'La nuit de Varennes' de Ettore Scola * : Projection du film suivie de débat avec Jorge COLI et Renato JANINE RIBEIRO : MSH Ange Guépin - IEA de Nantes

Programme du 20 Novembre 2009

9H00 - TABLE RONDE 4 : Res publica, République, República: les rapports entre les
modèles - Président de séance: Jorge COLI (Université de Campinas - UNICAMP)
  • Renato JANINE RIBEIRO (Université de São Paulo - USP) : « La République au Brésil et en France: décalages et contrastes ».
  • Ana Beatriz BAREL (Université de Nantes) : « La République de São Bernardo : une lecture de La République de Platon ».

10H00 - TABLE RONDE 5 : La République dans la lusophonie : l'ironie, le sarcasme et
l'autodérision comme critique du modèle républicain - Président de séance: Regina ZILBERMAN (Université Fédérale du Rio Grande do Sul - UFRGS)
  • Manuel FERRO (Université de Coimbra) : « A implantação da República Portuguesa sob o olhar acutilante da paródia: Republicaníadas, de Marco António (António Correia Pinto de Almeida) ».
  • Berthold ZILLY (Université Libre de Berlin) : « O patriota da triste figura numa República sem nenhum caráter. Sobre Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto ».

11H00 - TABLE RONDE 6 : Le vocabulaire de l'univers républicain et la formation du
lecteur sous la République Président de séance: Augustin EMANE (Université de Nantes - IEA de Nantes)
  • Jean-Yves MÉRIAN (Université de Rennes 2) : « Être citoyen au Brésil à la fin du XIXe: débats préliminaires à l'adoption du Code civil (Clóvis Bevilacqua versus Rui Barbosa) ».
  • Carlos MACIEL (Université de Nantes) : « Le mot République dans les textes (Portugal, Brésil) ».
  • Dora FRANÇOIS (Université de Nantes) : « L'école républicaine: un cartable assez lourd à porter ».

12H00 - Pause déjeuner

16H00 - * Séance Ciné Club 'Danton, le procès de la révolution' de Andrzej Vajda* - MSH Ange Guépin - IEA de Nantes.

15 de novembro de 2009

Lido no Público : Investigador português participa no maior estudo genético sobre Doença de Parkinson

Trabalho que encontrou factores de risco envolveu mais de 13 mil amostras de diferentes países e é publicado hoje na Nature Genetics.

Mais de cinco mil pessoas com a Doença de Parkinson e oito mil indivíduos saudáveis foram alvo de uma pesquisa a centenas de milhares de marcadores genéticos. O estudo de larga escala confirmou que alguns genes envolvidos nas formas familiares da doença têm um papel na forma mais comum e identificou novas regiões em cromossomas que também estão ligadas à forma esporádica desta doença. As variações genéticas encontradas em vários genes identificados são factores de risco para a forma mais comum da doença de Parkinson. Apesar de ser muito complicado quantificar, é possível afirmar que uma pessoa que possua variações em todos estes marcadores terá um risco de desenvolver a Doença de Parkinson na ordem dos 25 por cento.

O artigo - que conta com a participação do investigador português José Tomas Brás - é publicado hoje na Nature Genetics por uma equipa coordenada pelo Laboratório de Neurociências do Instituto Nacional de saúde dos EUA, com um trabalho semelhante realizado no Japão. Reúne-se, assim, na mesma revista o maior estudo genético sobre a Doença de Parkinson que permite cruzar dados entre a população asiática e caucasiana. No total, somando os dois trabalhos independentes, foram encontrados cinco genes. Porém, falar em SNCA (gene que codifica a alfa-sinucleina) MAPT (gene que codifica a tau), LRRK2 (gene que codifica a dardarina), ou PARK16 (nova região cromossómica no cromossoma 1 associada a doença) é o mesmo que nada. Estes foram os marcadores associados à Doença de Parkinson detectados no estudo que envolveu a população caucasiana, usando amostras da população norte-americana, alemã e britânica. Genes que antes tinham sido associados SNCA, LRRK2 e MAPT a formas raras da doença por mutações (SNCA, LRRK2 e MAPT), surgem agora também ligados às formas mais comuns de Parkinson.

Vamos então tentar responder à questão incontornável do “para que serve” este conhecimento genético. “Em termos de terapêutica estamos muito longe de isto poder ter uma aplicação. Em termos de abordagem da doença isto permite-nos dizer que genes que nós pensávamos estarem na origem de formas raras e familiares, afinal estão envolvidos nas formas comuns da doença, e as formas comuns são por definição as mais frequentes”, explica José Tomas Brás, investigador do Centro de Neurociências de Coimbra que se encontra nos EUA a fazer um doutoramento. É, diz, muito difícil quantificar o risco de vir a desenvolver a doença perante variações nestes marcadores. “Tentámos fazer isso mas é difícil. Varia de população para população. A totalidade destes marcadores pode aumentar o risco em 25 por cento. Mas trata-se de um número que tem de ser interpretado com muito cuidado. Diferentes populações vão ter diferentes riscos. Diferentes combinações destes marcadores vão ter diferentes riscos”.

No caso da PARK16, trata-se de uma nova região cromossómica encontrada no cromossoma 1 e que foi associada a doença nos dois estudos independentes. “É uma região onde existem vários genes que se mostra associada tanto na população asiática como na população caucasiana e que não descobrimos ainda qual é o gene que nesta região está a exercer o risco para a doença, é um dos passos seguintes que vamos ter”, refere Jose Tomas Brás. Por outro lado, as variações encontradas nos doentes no gene que codifica a tau (MAPT) não foram encontradas no estudo realizado no Japão.

O trabalho que contou com a participação do investigador português teve duas fases distintas e uma ajuda preciosa das mais modernas técnicas de estudo de associação de genoma completo. “O que podemos utilizar agora, os chamados chips de DNA, permitem de uma só vez olhar para um numero enorme de marcadores no genoma. No nosso caso, inicialmente testámos para cada amostra cerca de 550 mil marcadores distribuídos pelo genoma. Após um controlo de qualidade ficaram só cerca de 400 mil”.

Primeiro foram testados 1700 doentes e cerca de quatro mil controlos e procuraram-se aqui sinais de associação. Quais os marcadores associados à doença. Mais do que a cerca de dezena de genes que já se sabia estarem ligados à doença, os investigadores quiseram testar tudo. A segunda etapa do estudo envolveu um grupo maior de doentes e controlos mas, desta vez, apertou-se a malha do filtro e apenas foram testados os 384 melhores marcadores encontrados.

Se se tratam de marcadores que todos temos, o que faz com que a doença se desencadeie numa pessoa e não noutra? “Não sabemos ainda. Será um dos passos seguintes”. Depois de descobertas estas regiões associadas à doença é preciso ver quais são as variantes nos genes – podem ser mutações se forem raras - que causam este risco e estudar o papel das proteínas. “Para já, isto são marcadores que todos nós temos, os dois alelos de cada um, toda a gente tem as várias combinações. Eles aparecem é mais nos doentes do que nos controlos”, diz concluindo: “O que sabemos é que estes marcadores estão associados à doença. Não fazemos ideia como. Não sabemos como exercem o seu efeito”. Isso ainda está para vir.

Luso Jornal n° 231 de 11 de Novembro de 2009

6 de novembro de 2009

Permanência consular : 28 de Novembro de 2009 na região de Brest

das 9 às 17 h 30 na Mairie Annexe de Saint Marc - 124, rue de Verdun - 29200 Brest

Permanência Consular : 21 de Novembro de 2009 na Mairie de Parthenay

das 10 às 12h e das 14 às 16h na Mairie no 2, rue de la Citadelle, 79200 Parthenay

Permanência Consular : 15 de Novembro de 2009 na região de St Brieuc

das 9 às 12h e das 14 às 16h, na sede da "Association Culturelle des Portugais des Côtes d'Armor", 1 avenue Loucher, 22000 Saint Brieuc

4 de novembro de 2009

Luso Jornal n° 230 de 4 de Novembro de 2009

Lido no Público : Investigadora portuguesa distinguida pela Organização Europeia de Biologia Molecular


A cientista Mónica Bettencourt Dias foi hoje distinguida pela Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO, na sigla em inglês) ao ser incluída na lista anual do organismo dos mais talentosos jovens cientistas da Europa. A investigadora, que dirige o Laboratório de Regulação do Ciclo Celular do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), foi um dos 17 seleccionados neste programa da EMBO, entre 123 candidaturas. Os cientistas distinguidos são de nove países diferentes, com uma média de idades de 36 anos.

Criado há sete anos, o programa destina-se a identificar os mais prometedores e criativos jovens cientistas europeus, aos quais é facultada ajuda académica, prática e financeira para os anos cruciais das suas carreiras.

Contactada pela Lusa, Mónica Bettencourt Dias congratulou-se com a distinção, tanto pelo que significa de reconhecimento do seu trabalho, como pelas portas que lhe abre. “Acho importante porque reconhece e dá visibilidade internacional à Ciência que se faz em Portugal, que está a crescer, e isso atrai mais colaborações e mais financiamentos”, disse a investigadora. Por outro lado, para Mónica Bettencourt Dias “o prémio facilita uma rede de contactos, de pessoas e de utilizações de instituições e de equipamentos a que não teria acesso de outra maneira, o que representa uma grande vantagem para o meu laboratório”.

A distinção da EMBO implica a atribuição de 15 mil euros anuais durante quatro anos pelo país-membro da EMBO onde se encontra o laboratório do investigador, neste caso através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

O trabalho que desenvolve desde 2006 no IGC incide nos mecanismos de divisão celular e já mereceu a Mónica Bettencourt Dias, no ano passado, uma “Bolsa de Instalação” da EMBO para estudar a formação do centrosoma, uma estrutura das células que ajuda a regular a sua multiplicação e cuja compreensão pode abrir caminho a novos marcadores de diagnóstico e prognóstico em casos de cancro, bem como a novos alvos terapêuticos.

Mónica Bettencourt Dias é licenciada em Bioquímica pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e regressou em 2006 de Inglaterra, onde se doutorou em Biologia Celular no University College of London.

29 de outubro de 2009

Requerimentos ex-combatentes

No site www.mdn.gov.pt deve escolher o requerimento que corresponde à sua situação :

Ex-combatentes com descontos na Segurança Social portuguesa e Caixa Geral de Aposentações : São considerados como ex-combatentes, para efeitos da presente lei:

a) Os ex-militares mobilizados, entre 1961 e 1975, para os territórios de Angola, Guiné e Moçambique;

b) Os ex-militares aprisionados ou capturados em combate durante as operações militares que ocorreram no Estado da Índia entre 19 de Dezembro de 1961 e 31 de Maio de 1962;

c) Os ex-militares que se encontrassem no território de Timor Leste entre 25 de Abril de 1974 e 7 de Dezembro de 1975;

d) Os ex-militares oriundos do recrutamento local que se encontrem abrangidos pelo disposto nas alíneas anteriores;

e) Os militares dos quadros permanentes abrangidos por qualquer das situações previstas nas alíneas anteriores.

Ex-combatentes emigrantes na União Europeia ou na Suíça : Ex-combatentes abrangidos por sistemas de segurança social de Estados membros da União Europeia e demais Estados membros do espaço económico europeu, bem como pela legislação suíça, coordenados pelos regulamentos comunitários, que não tenham sido beneficiários do sistema de segurança social nacional.

Ex-combatentes emigrados noutros países : Ex-combatentes abrangidos por sistemas de segurança social de Estados com os quais foram celebrados instrumentos internacionais que prevejam a totalização de períodos contributivos, desde que tenham sido beneficiários do sistema de segurança social nacional.

Ex-combatentes bancários, advogados ou solicitadores e Rádio Marconi : Ex-combatentes que não sejam subscritores da Caixa Geral de Aposentações nem beneficiários do regime de pensões do sistema público de segurança social.

85 vinhos portugueses premiados no Concurso Internacional de Vinhos "Mundus Vini 2009“ na Alemanha


Foram publicados recentemente na Alemanha os resultados do grande Concurso Internacional de Vinhos “Mundus Vini 2009”, organizado pela 9ª vez pela editora alemã especializada em vinhos e bebidas alcoólicas “Meininger Verlag GmbH”. Participaram no concurso 5729 vinhos de 44 países (em 2008: 5.300 vinhos de 41 países). O júri, composto de 275 especialistas internacionais, provou todos os vinhos conforme o regulamento da “Organisation Internationale de la Vigne et du Vin (OIV), o que faz deste evento a maior “prova cega” de vinhos no mundo.
No total, participaram no concurso cerca de 300 vinhos portugueses, dos quais 85 vinhos (em 2008 – 68 vinhos) foram premiados com medalhas.
Foi reconhecida a qualidade dos vinhos portugueses nas seguintes categorias:
  • Brancos: 2 Medalhas de Ouro, 13 Medalhas de Prata
  • Roses: 1 Medalha de Prata
  • Tintos: 15 Medalhas de Ouro, 46 Medalhas de Prata
  • Vinhos Fortificados: 4 Medalhas de Ouro, 4 Medalhas de Prata
Entre os vinhos premiados encontram-se 21 vinhos do Alentejo (vinhos DOC e regionais) e 14 do Douro, 10 da Estremadura (Lisboa) e 8 do Dão.
O êxito de vinhos portugueses neste concurso demonstra mais uma vez a qualidade e competitividade da oferta nacional nos mercados internacionais.
A Associação Alemã de Viticultura publicou recentemente os dados sobre a importação alemã de vinhos no período de Agosto de 2008 a Julho de 2009 que sublinham o acima exposto.
Conforme estes dados, a importação alemã de vinhos portugueses atingiu uma taxa de crescimento de 12,5% em valor e de 10,3% em volume, ultrapassando assim de longe o crescimento do total das importações de vinhos neste mercado (-0,1% em valor; 1,5% em volume).

28 de outubro de 2009

António Braga mantém-se como secretário de Estado das Comunidades

Lisboa, Portugal 28/10/2009 21:01 (LUSA) - António Braga mantém-se como secretário de Estado das Comunidades, anunciou hoje fonte oficial.

Ocupando o cargo desde Março de 2005, António Braga teve na reestruturação consular a medida mais controversa do seu mandato.

Desde que foi anunciada, em Dezembro de 2006, até que começou a ser concretizada, no final de 2007, choveram críticas, protestos e manifestações em todo o mundo contra a reforma dos consulados.

Pela primeira vez na história da diáspora portuguesa, os emigrantes uniram-se para protestar contra uma reforma.

Foi também pela mão de António Braga que foi criado o Consulado Virtual, que, via Internet, disponibiliza serviços e informações até agora apenas acessíveis nos postos e secções consulares portuguesas no estrangeiro.

António Braga inaugurou também o Gabinete de Emergência Consular que funciona 24 horas por dia e presta apoio aos portugueses no estrangeiro que se encontrem em situações de emergência.

O titular da pasta da Emigração foi ainda um dos mentores do Observatório da Emigração, que tem como função fazer a análise dos fluxos migratórios, das comunidades portuguesas e a história da emigração portuguesa.

O LusaVox, um concurso on-line de descoberta de talentos musicais entre os portugueses no estrangeiro, e a Gala dos Talentos, que homenageia emigrantes que se distinguem em áreas como o desporto, a política, o associativismo ou a ciência, entre outros, foram outras das iniciativas do secretário de Estado.

No papel continua o Netinvest, uma iniciativa de apoio ao investimento em Portugal por parte dos empresários portugueses que vivem no estrangeiro, largamente anunciada pelo Governo mas nunca concretizada.

Quanto ao Ensino do Português no Estrangeiro, destaca-se a passagem da sua tutela do Ministério da Educação para o Ministério dos Negócios Estrangeiros, que só estará plenamente concretizada em 2010/2011.

Natural de Braga e licenciado em Filosofia, António Braga esteve ligado à Educação e iniciou funções de deputado em 1995, na VII Legislatura.

No Parlamento dedicou-se também à Educação, foi vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS (1995 a 1998 e 2001/2002), vice-presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Portugal Rússia (2002/2005) e membro do Grupo Parlamentar de Amizade Portugal Canadá (2002/2005).

Em Março de 2005, assumiu o cargo de Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

Portal do Observatório da Emigração


O Portal do Observatório da Emigração está disponível no site www.observatorioemigracao.secomunidades.pt e pretende produzir e disponibilizar informação actualizada sobre a evolução e as características da emigração portuguesa.

Luso Jornal nº 229 de 28 de Outubro de 2009

25 de outubro de 2009

Qui est Serge Vieira ?

Bocuse d’or 2005, Serge Vieira vient d’ouvrir un restaurant à la déco ultra-contemporaine enterré sous le château de Couffour à Chaudes-Aigues, en Aubrac.

Serge Vieira vient d’ouvrir son restaurant (Le Couffour - 15110 Chaudes-Aigues - www.sergevieira.com - Tél. : 04 71 20 73 85). C’est un grand complexe ultra-contemporain, avec toiture végétalisée, installé sous un château du 14e s., le château de Couffour. Ce site merveilleux, véritable balcon au-dessus de Chaudes-Aigues et des gorges de la Truyère, offre une vue dégagée à plus de 180°…

Ce jeune chef de 26 ans n’est pas n’importe qui. Ancien second de Régis Marcon (trois étoiles à l’Auberge des Cimes à Saint-Bonnet-le-Froid en Haute-Loire), Serge Vieira a gagné le Bocuse d’or 2005 – une distinction qui mène rapidement au premier macaron Michelin. Cette année-là, le président du jury n’était autre qu’un voisin restaurateur de l’Aubrac : Michel Bras, trois étoiles à Laguiole et ambassadeur universel de ce pays qu’il chérit tant.
Le restaurant de Serge Vieira, avec sa baie vitrée panoramique face à l’Aubrac, s’inspire d’ailleurs de la maison Bras. On regrette néanmoins que le chemin d’accès du restaurant soit aussi solennel qu’interminable et que l’on doive affronter le vent, voire la pluie, avant de trouver l’entrée.
Sans être de l’Aubrac, Serge Vieira est néanmoins 100 % Auvergnat, natif de Clermont-Ferrand. C’est ce retour au bercail qui lui vaut sans doute le sourire rayonnant qu’il arbore en permanence. Ou bien sa superbe cuisine high-tech de 90 m2, dans laquelle il nous montre par exemple un four programmable avec port USB !
Pour autant, le jeune chef revendique une « cuisine sans mode d’emploi » qui tire son « inspiration de la nature et des produits frais ». Il y a quelques gelées et quelques émulsions, mais le produit est respecté dans son intégrité, comme ce saumon mi-cuit à basse température.

La carte, qui propose volontairement deux menus seulement (45€ et 75€), change en général toutes les trois semaines et fait la part belle aux produits de saison. Serge chante d’ailleurs les louanges du marché de Rodez, mais traque partout, jusque dans le Languedoc, les petits légumes qu’il adore (petits pois, fèves, pousses de salades, etc.).

Quelques plats


Foie gras rôti purée de betterave à la fleur d’oranger
Lapin de cabane, pomme de terre ratte écrasée, céleri dans tous ses états et amandes
Dos de saumon cuit à 50°C, fine gelée d’oseille
Filet de dorade aux artichauts, beurre monté aux noisettes et pousses de jeunes salades
Pigeon élevé au grain, petits pois et chou cœur de bœuf, carotte fondante, polenta aux olives noires
Tartelette croquante fraise rhubarbe au poivre Maniguette, crème glacée au miel

Guide Michelin : édition 2010 : Serge Vieira "grand de demain"


Le guide gastronomique Gault-Millau 2010 abandonne les notes qu'il décernait sur 20 et porte à cinq le nombre maximal de toques qu'il attribuait parallèlement aux notes, dans sa 38e édition à paraître jeudi.

3 chefs ont par ailleurs été "nominés" pour le titre de "cuisinier de l'année GaultMillau", qui doit être décerné lundi : William Ledeuil de Ze Kitchen Galerie à Paris, Arnaud Lallement de l'Assiette Champenoise à Tinqueux (Marne) et Edouard Loubet, de La Bastide de Capelongue à Bonnieux (Vaucluse), donné favori par certains spécialistes.

La nouvelle catégorie "cinq toques" consacre douze chefs: Jean-Paul Abadie (L'Amphitryon à Lorient), Yannick Alléno (Le Meurice à Paris), Pascal Barbot (L'Astrance à Paris), Alain Ducasse et son chef Christophe Moret (Plaza Athénée à Paris), Pierre Gagnaire (à Paris), Gilles Goujon (Auberge du Vieux Puits à Fontjoncouse, Aude), Michel Guérard (Les Prés d'Eugénie, à Eugénie-les-Bains, Landes), Régis et Jacques Marcon (à Saint-Bonnet-le-Froid, Haute-Loire), Thierry Marx (Château Cordeillan-Bages à Pauillac, Gironde), Alain Passard (L'Arpège à Paris), Guy Savoy (à Paris)et Michel Troisgros (à Roanne, Loire).

Le guide distingue également "six grands de demain": David Ducassou (Cap e Tot à Morlanne, Pyrénées-Atlantiques), Serge Vieira (à Chaudes-Aigues, Cantal), Adeline Grattard (Yam'Tcha à Paris), Olivier Arlot (à Tours), Mickaël et Gaël Tourteaux (Flaveur à Nice) et Lisa Muncan (La Table de Lisa à Vers-Pont-du-Gard, Gard).